Uma utopia intercultural

os povoados de Santa Fé de México e Michoacán

Autores

Palavras-chave:

Utopia, Interculturalidade, Colonização

Resumo

Este artigo discute as propostas elaboradas no século XVI por Vasco de Quiroga para a organização da Nova Espanha. Especificamente, apresenta os povoados utópicos de Santa Fé de México e de Michoacán, fundados por Quiroga para abrigar os indígenas, fornecendo-lhes um refúgio da escravização e dos maus tratos impostos pelos colonos espanhóis. As fontes analisadas são a Carta al Consejo (1531) e a Información en derecho (1535). Os resultados ressaltam o aspecto intercultural dessa utopia, sem deixar de notar suas limitações derivadas da vinculação ao processo de colonização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, Gilson Xavier de. A Manifestação Experiencial dos Cristãos de Antioquia nos Cristianismos Originários e a Controvérsia da Circuncisão. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 21, n. 4, p. 597–612, 2011. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/fragmentos/article/view/2232. Acesso em: 29 out. 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v21i4.2232.

BATAILLON, Marcel. Vasco de Quiroga et Bartolome de Las Casas. Revista de Historia de América, [s. l.], n. 33, p. 83–95, 1952. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/20138157. Acesso em: 29 out. 2022.

GRYSON, Roger et al. (ed.). Biblia Sacra Vulgata. 5. ed. Stuttgart: Deutsche Bibelgesellschaft, 2007.

BRAKEMEIER, Gottfried. A primeira carta do apóstolo Paulo à comunidade de Corinto: um comentário exegético-teológico. São Leopoldo: Editora Sinodal, 2008.

CALDAS AULETE, Francisco J.; VALENTE, Antonio Lopes dos Santos. Dicionário online Caldas Aulete. [S. l.], [s. d.]. Disponível em: http://www.aulete.com.br/. Acesso em: 29 out. 2022.

CALLADO, Cintya dos Santos. A Heterogeneidade das concepções Cristãs do Primeiro Século: a Contribuição de Paulo e a Formação das Ekklesiai. Jesus Histórico, [s. l.], v. 14, p. 102–112, 2015. Disponível em: https://www.klineeditora.com/revistajesushistorico/arquivos14/7-cyntia.pdf. Acesso em: 29 out. 2022.

CHANFÓN OLMOS, Carlos. La catedral de San Salvador. El gran proyecto de Don Vasco de Quiroga. Anales del Instituto de Investigaciones Estéticas, [s. l.], v. 15, n. 57, p. 41–62, 1986. Disponível em: http://www.analesiie.unam.mx/index.php/analesiie/article/view/1328. Acesso em: 29 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.22201/iie.18703062e.1986.57.1328

DEALY, Ross. Vasco de Quiroga’s thought on war: its erasmian and utopian roots. 1975. 304 f. Tese de doutorado - Indiana University, Bloomington, 1975.

DICIONÁRIO LATIM – PORTUGUÊS. [S. l.], [s. d.]. Disponível em: https://glosbe.com. Acesso em: 29 out. 2022.

ERASMO, Desidério. A educação de um príncipe cristão. Para o Ilustríssimo Príncipe Carlos, neto do invencível Imperador Maximiliano. Em: Conselhos aos Governantes. Brasília: Senado Federal, Secretaria Especial de Editoração e Publicação, 1998, pp. 262–421. E-book. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/1026. Acesso em: 29 out. 2022.

EUSÉBIO DE CESARÉIA. História Eclesiástica. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2000.

FARIA, Ernesto (org.). Dicionário escolar latino – português. 3. ed. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1962. E-book. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=24675. Acesso em: 29 out. 2022.

FERREIRA, Joel Antônio. Cristianismos originários a partir da perspectiva bíblica. Interações - Cultura e Comunidade, [s. l.], v. 5, n. 8, p. 23–43, 2010. Disponível em: http://200.229.32.55/index.php/interacoes/article/view/6438. Acesso em: 22 dez. 2015.

FIGUEIREDO, Antonio PEREIRA de (trad.). A Biblia Sagrada contendo o Velho e o Novo Testamento traduzida em portuguez segundo a Vulgata Latina. Londres: W. Clowes e Filhos, 1865. E-book. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=xSrejWDv_FwC&ots=4ha7OmTzE7&dq=vulgata%20antonio%20pereira%20figueiredo&lr&hl=pt-BR&pg=PA531#v=onepage&q=vulgata%20antonio%20pereira%20figueiredo&f=false. Acesso em: 29 out. 2022.

GUEVARA, Antonio de. Relox de Príncipes. Em: Obras Completas de Fray Antonio de Guevara. Madri: Fundación José Antonio de Castro, 1994. v. 2, p. 1–943. E-book. Disponível em: www.filosofia.org/cla/gue/guerp.htm. Acesso em: 29 out. 2022.

HELLER, Agnes. O homem do Renascimento. Lisboa: Presença, 1982.

MACHIAVELLI, Nicoló di Bernardo dei. O príncipe. Tradução: Antonio Caruccio-Caporale. Porto Alegre: LP&M, 2001.

MARTINS, José V. de Pina. Thomas More e a Utopia. Em: Utopia ou a melhor forma de governo. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009. p. 23–139.

MORUS, Thomas. Utopia. Londres: Oxford, Clarendon Press, 1895. E-book. Disponível em: http://archive.org/details/theutopiaofsirth00moreuoft. Acesso em: 29 out. 2022.

MORUS, Thomas. Utopia ou a melhor forma de governo. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009.

OLIVEIRA, Terezinha. Discursos e Práticas cristãs no limiar da Antiguidade e do Medievo. Chaos e Kosmos, [s. l.], n. XVI, p. 1–24, 2013. Disponível em: http://www.chaosekosmos.it/pdf/2013_18.pdf. Acesso em: 29 out. 2022.

QUIROGA, Vasco de. La utopía en América. Madri: Dastin, 2002.

REIMER, Ivoni Richter. Para memória delas! Textos e interpretações na (re)construção de cristianismos originários. Estudos Teológicos, [s. l.], v. 50, n. 1, p. 41–53, 2010. Disponível em: http://periodicos.est.edu.br/index.php/estudos_teologicos/article/view/42. Acesso em: 29 out. 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.22351/et.v50i1.42

SARGENT, Lyman Tower. What is a utopia?. Morus - Utopia e Renascimento, [s. l.], v. 2, p. 153–160, 2005. Disponível em: http://revistamorus.com.br/index.php/morus/article/view/139. Acesso em: 17 ago. 2015.

SARTORELLI, Elaine Cristine; LEME, Fernando Gorab. Erasmo, barbari, indocte docti e ciceroniani: os modelos clássicos e o ensinamento cristão. Letras Clássicas, [s. l.], n. 13, p. 3–28, 2009. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/letrasclassicas/article/view/73920. Acesso em: 29 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i13p3-28

SENELLART, Michel. As artes de governar. Do regimen medieval ao conceito de governo. Tradução: Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 2006.

SERRANO GASSENT, Paz. Vasco de Quiroga: utopía y derecho en la conquista de América. Madri: Fondo de Cultura Económica de España; Universidad Nacional de Educación a Distancia, 2001.

SILVA, Dinair Andrade da. Tensões entre Castela e Portugal a propósito dos descobrimentos atlânticos: um estudo das bulas alexandrinas. Em: IV Encontro da ANPHLAC, 2000, Salvador. Anais eletrônicos. Salvador: ANPHLAC, 2000. p. 1–14. Disponível em: http://antigo.anphlac.org/sites/default/files/dinair_silva.pdf. Acesso em: 29 out. 2022.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América. A questão do outro. Tradução: Beatriz Perrone Moysés. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

VÉRAS, Robson Pedro. Parábolas e Alegorias: uma junção nos cristianismos originários. Fragmentos de Cultura, [s. l.], v. 21, n. 4, p. 613–625, 2011. Disponível em: http://revistas.pucgoias.edu.br/index.php/fragmentos/article/view/2233. Acesso em: 29 out. 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v21i4.2233

WARREN, Fintan B. Vasco de Quiroga and his pueblo-hospitals of Santa Fe. Washington, DC: Academy of American Franciscan History, 1963.

Downloads

Publicado

2023-08-24

Como Citar

WITEZE JR., G. Uma utopia intercultural: os povoados de Santa Fé de México e Michoacán. História Revista, Goiânia, v. 27, n. 2, p. 49–71, 2023. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/74444. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Estética, Educação E Interculturalidade