Cultura e barbárie

dinâmicas do processo histórico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v26i2.69626

Resumo

Este artigo, a partir do binômio cultura/barbárie, discute a maneira pela qual o diálogo passado/presente, a partir de temas e questões metodológicas atinentes à História Cultural e aos Estudos Culturais, contribui para ressignificações da tradição cultural ocidental, especialmente a partir do diálogo da filósofa Simone Weil com o poema épico Ilíada, de Homero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosangela Patriota, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, São Paulo, Brasil, patriota.ramos@gmail.com

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Bolsista Produtividade do CNPq. Professora Titular Aposentada da Universidade Federal de Uberlândia. Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo. Coordenadora da Rede Internacional de Pesquisa em História e Culturas Contemporâneas e Coordenadora do GT Nacional de História Cultural da ANPUH.

Referências

ARENDT, Hannah Entre o passado e o futuro. 8 ed. São Paulo: Perspectiva, 2016 (e-book).

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. 2 ed., São Paulo/Brasília: Hucitec/Editora da UNB, 1993.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas – Magia e Técnica, Arte e Política. 3 ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BLOOM, Harold. O cânone americano: o espírito criativo e a grande literatura. Rio de Janeiro: Objetiva, 2017.

BLOOM, Harold. O cânone ocidental: os livros e a escola do tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 1994.

BLOOM, Harold. Um mapa da desleitura. 2 ed. Rio de Janeiro: Imago, 2003.

BOSI, Ecléa (org.). A condição operária e os outros estudos sobre a opressão/Simone Weil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

BURCKHARDT, Jacob. A cultura do renascimento na Itália: um ensaio. Brasília: Editora da UNB, 1991.

CHARTIER, Roger. Cultura Escrita, Literatura e História. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2001.

ECO, Umberto. O nome da Rosa. Rio de Janeiro: Record, 2011 (e-book).

GINZBURG, Carlo. Relações de Força: história, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GREENBLATT, Stephen. A virada: o nascimento do mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2012 (e-book).

ISER, Wolfang. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. v. 1. São Paulo: Editora 34, 1996.

ISER, Wolfang. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. v. 2. São Paulo: Editora 34, 1999.

JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. São Paulo: Ática, 1994.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Contraponto/Editora da PUC-Rio, 2006.

SAID, Edward. Humanismo e Crítica Democrática. São Paulo: Companhia das Letras, 2007 (e-book).

VESENTINI, Carlos Alberto. A teia do fato: uma proposta de estudo sobre a memória histórica. São Paulo: Hucitec, 1997.

VIDAL-NAQUET, Pierre. O mundo de Homero. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

PATRIOTA, R. . Cultura e barbárie : dinâmicas do processo histórico. História Revista, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 8–28, 2021. DOI: 10.5216/hr.v26i2.69626. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/69626. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê "Cultura e barbárie: o mundo em tempos extremos"