O DEBATE INTELECTUAL URUGUAIO SOBRE A AMÉRICA LATINA E OS EUA DO PÓS-SEGUNDA GUERRA: ENTRE DEMOCRACIAS E REVOLUÇÕES

Autores

  • Mateus Fávaro Reis Mestre em História pela UFMG.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v13i2.6647

Resumo

Este artigo tem por objetivo abordar o debate de significativos intelectuais uruguaios sobre a América Latina e os Estados Unidos, após a Segunda Guerra Mundial. Em particular, pretende enfocar as interpretações elaboradas por dois dos principais expoentes das esquerdas reformistas do Uruguai: Emilio Frugoni e Carlos Quijano. Estes entrecruzaram seus olhares, criticaram as ações norteamericanas na América Latina, dedicaram especial atenção aos processos revolucionários da Guatemala, Bolívia e Cuba, e também para o Brasil de João Goulart. Suas interpretações convergiram, ao preconizar os canais democráticos para a transformação das coletividades latino-americanas, principalmente em relação ao Uruguai.

 

PALAVRAS-CHAVE: Emilio Frugoni, Carlos Quijano, América Latina, Democracia, Revoluções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Fávaro Reis, Mestre em História pela UFMG.

Downloads

Publicado

2009-07-09

Como Citar

REIS, M. F. O DEBATE INTELECTUAL URUGUAIO SOBRE A AMÉRICA LATINA E OS EUA DO PÓS-SEGUNDA GUERRA: ENTRE DEMOCRACIAS E REVOLUÇÕES. História Revista, Goiânia, v. 13, n. 2, 2009. DOI: 10.5216/hr.v13i2.6647. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/6647. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê