ENTRE AS MEMÓRIAS E AS IDENTIDADES: AS COMEMORAÇÕES DO BI-CENTENÁRIO DAS INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA HISPÂNICA E OS PRINCÍPIOS DA EXCLUSÃO

Autores

  • Libertad Borges Bittencourt Professora do Departamento de História da UFG.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v13i2.6646

Resumo

A proposta deste artigo é pensar as comemorações dos dois séculos da formação dos Estados Nações na América Latina, a partir do marco das independências (1808-1810), pontuando esse período constitutivo das histórias nacionais no continente e refletindo também sobre a inserção dos diferentes contingentes populacionais que participaram do embate com as tropas peninsulares. Nesse sentido, investigar o acontecimento em si e as reflexões sobre o mesmo após duzentos anos nos conduz à pergunta: qual a imagem construída sobre o autóctone nesse processo, uma vez que os representantes dessas camadas, denominadas então de “los de abajo”, foram alijados da história, aparecendo apenas nas reivindicações de uma identidade idealizada.

 

PALAVRAS-CHAVE: comemorações, identidade, festas cívicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Libertad Borges Bittencourt, Professora do Departamento de História da UFG.

Downloads

Publicado

2009-07-09

Como Citar

BITTENCOURT, L. B. ENTRE AS MEMÓRIAS E AS IDENTIDADES: AS COMEMORAÇÕES DO BI-CENTENÁRIO DAS INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA HISPÂNICA E OS PRINCÍPIOS DA EXCLUSÃO. História Revista, Goiânia, v. 13, n. 2, 2009. DOI: 10.5216/hr.v13i2.6646. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/6646. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê