O Cruzeiro e a reinvenção de Machado de Assis

Autores

  • Jaison Luís Crestani IFPR - Campus Palmas

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v24i3.61001

Resumo

Este artigo apresenta uma análise da colaboração de Machado de Assis nas páginas do jornal O Cruzeiro. O estudo da interação dinâmica do autor com o contexto de produção do periódico permite identificar os traços de sua inscrição singular em projetos editoriais coletivos e os resultados criativos decorrentes da apropriação do conjunto de discursos, códigos e signos que formam a cultura de seu tempo. A dominante estilística do material remetido ao jornal consiste no humor, na paródia, na experimentação formal e na irreverência crítica – aspectos que responderiam pela inscrição da literatura machadiana na tradição da sátira menipeia. Com a análise dessa narrativa, pretende-se demonstrar, portanto, que O Cruzeiro afirma-se como mediador e suporte, por excelência, dos exercícios experimentalistas que resultaram na transformação da prática criativa de Machado de Assis ao final da década de 1870.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaison Luís Crestani, IFPR - Campus Palmas

Doutor em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Docente do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Downloads

Publicado

2020-06-01

Como Citar

CRESTANI, J. L. O Cruzeiro e a reinvenção de Machado de Assis. História Revista, Goiânia, v. 24, n. 3, p. 14–34, 2020. DOI: 10.5216/hr.v24i3.61001. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/61001. Acesso em: 2 jul. 2022.