Coutos e Exílios em Portugal e Brasil

o degredo de D. Francisco Manuel de Melo

Autores

  • Geraldo Magela Pieroni Universidade Tuiuti do Paraná - UTP PPGCom - Mestrado e Doutorado em Comunicação e Linguagem. http://orcid.org/0000-0002-1896-8373

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v23i3.53223

Resumo

Degredar criminosos para locais distantes do âmbito de sua convivência comunitária consistia em uma prática jurídica amplamente utilizada desde a Antiguidade. A história do degredo em Portugal remonta à criação de lugares específicos nos quais os criminosos eram enviados: os Coutos de Homizios e Honras.  O degredo em Portugal tomou novos rumos com a expansão colonizadora além-mar. Entre os portugueses que pisaram pela primeira vez em território inimigo conquistado ou em alguma região antes desconhecida, havia sempre lugar reservado aos deportados. As Ordenações Filipinas, 1603, explícita que as terras do Brasil sejam lugares de degredo. Durante todo o período colonial, os desterrados continuaram a chegar no território brasileiro. Eles foram muitos, no entanto, neste artigo, tratarei principalmente do ilustre degredado português cujo nome era D. Francisco Manuel de Melo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geraldo Magela Pieroni, Universidade Tuiuti do Paraná - UTP PPGCom - Mestrado e Doutorado em Comunicação e Linguagem.

Doutor em História pela Université Paris-Sorbonne (Paris IV). Professor no Mestrado e Doutorado em Comunicação e Linguagem - PPGCom, Un iversidade Tuiuti do Paraná.

Downloads

Publicado

2019-03-23

Como Citar

PIERONI, G. M. Coutos e Exílios em Portugal e Brasil: o degredo de D. Francisco Manuel de Melo. História Revista, Goiânia, v. 23, n. 3, p. 72–86, 2019. DOI: 10.5216/hr.v23i3.53223. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/53223. Acesso em: 29 jun. 2022.