O contrabando na fronteira oeste da América portuguesa no século XVIII

Autores

  • Nauk Maria de Jesus UFGD

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v22i3.52892

Palavras-chave:

Mato Grosso colonial, contrabando, mineração

Resumo

A prática do contrabando é caracterizada pela introdução clandestina de mercadorias estrangeiras sem o pagamento de direitos e impostos ou mesmo atividades praticadas ilicitamente e ela foi comum nas regiões fronteiriças durante o período colonial, muitas vezes com consentimento das autoridades que deveriam proibi-las. Neste sentido, no presente artigo discutiremos o contrabando de ouro e prata na fronteira oeste da América portuguesa, no século XVIII, com o intuito de evidenciar que esse tipo de comércio foi incorporado na sociedade e economia do Antigo Regime, foi viabilizado graças às ações de diversas pessoas estabelecidas nos domínios portugueses e espanhóis e seu auge na capitania de Mato Grosso não esteve relacionado à decadência das minas de ouro, mas a própria política da Coroa portuguesa que regulava a sua prática.  Para o desenvolvimento do texto, além de bibliografia sobre o tema, utilizamos a documentação do Arquivo Histórico Ultramarino (Projeto Resgate), do Arquivo Público de Mato Grosso e fontes impressas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nauk Maria de Jesus, UFGD

Professora no Curso de Graduação e Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Grande Dourados. Doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense.

Downloads

Publicado

2018-09-20

Como Citar

JESUS, N. M. de. O contrabando na fronteira oeste da América portuguesa no século XVIII. História Revista, Goiânia, v. 22, n. 3, p. 70–86, 2018. DOI: 10.5216/hr.v22i3.52892. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/52892. Acesso em: 30 jun. 2022.