A retórica do naufrágio

Autores

  • Cleber Vinicius do Amaral Felipe Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v23i3.52003

Resumo

Este artigo apresenta uma maneira verossímil de se ler relatos de naufrágio escritos e publicados ao longo dos séculos XVI-XVIII, tomando-os como exemplares do gênero histórico. Ao invés de lê-los como relato noticioso, realista ou barroco, pretende-se analisar seus códigos linguísticos e operar a partir deles, demonstrando como, naquele período, a história amparava-se na retórica e era concebida como mestra da vida, conforme a duradoura formulação ciceroniana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleber Vinicius do Amaral Felipe, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor Adjunto do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Downloads

Publicado

2019-03-23

Como Citar

FELIPE, C. V. do A. A retórica do naufrágio. História Revista, Goiânia, v. 23, n. 3, p. 26–44, 2019. DOI: 10.5216/hr.v23i3.52003. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/52003. Acesso em: 7 jul. 2022.