Dois Golpes, Duas Ditaduras

Autores

  • Eurelino Coelho Universidade Estadual de Feira de Santana (BA)

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v20i1.39368

Palavras-chave:

Historiografia, Ditadura militar, Hegemonia

Resumo

O artigo problematiza teses, ditas revisionistas, que ganharam peso na historiografia recente sobre o golpe e a ditadura militar brasileiras (1964-1985). A hipótese central é de que em tais teses se pode reconhecer as marcas de seu pertencimento a modos de ver o poder que se tornaram hegemônicos com a consolidação de formas contemporâneas de poder de classe.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eurelino Coelho, Universidade Estadual de Feira de Santana (BA)

Doutor em História. Professor do DCHF da Universidade Estadual de Feira de Santana (BA) – Graduação e Programa de Pós-Graduação – e pesquisador do LABELU (Laboratório de História e Memória da Esquerda e das Lutas Sociais).

Dois Golpes, Duas Ditaduras

Two Coups, Two Dictatorships

Eurelino Coelho*

eurecoelho@gmail.com

Resumo: O artigo problematiza teses, ditas revisionistas, que ganharam peso na historiografia recente sobre o golpe e a ditadura militar brasileiras (1964-1985). A hipótese central é de que em tais teses se pode reconhecer as marcas de seu pertencimento a modos de ver o poder que se tornaram hegemônicos com a consolidação de formas contemporâneas de poder de classe.

Palavras-chave: Historiografia; Ditadura militar; Hegemonia


* Doutor em História. Professor do DCHF da Universidade Estadual de Feira de Santana (BA) – Graduação e Programa de Pós-Graduação – e pesquisador do LABELU (Laboratório de História e Memória da Esquerda e das Lutas Sociais).

Downloads

Publicado

2016-01-08

Como Citar

COELHO, E. Dois Golpes, Duas Ditaduras. História Revista, Goiânia, v. 20, n. 1, p. 120–141, 2016. DOI: 10.5216/hr.v20i1.39368. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/39368. Acesso em: 1 jul. 2022.