Os Empreiteiros de Obras Públicas e o Golpe Civil de 1964

Autores

  • Pedro Henrique Pedreira Campos phpcampos@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v20i1/39363

Palavras-chave:

Empreiteiros de obras públicas, Golpe civil-militar de 1964, Empresariado brasileiro.

Resumo

Passadas três décadas do fim do governo do último general-ditador, a sociedade brasileira ainda guarda muitas marcas que remontam ao período do regime autoritário. Uma delas é o fato de vários grupos empresariais que dominam hoje a economia e, em certa medida, também a política brasileira, terem crescido de maneira significativa ao longo da ditadura. Dentre esses empresários, os empreiteiros de obras públicas se destacam, sendo que sua importância atual na economia brasileira remete em grande parte à emergência verificada no período ditatorial, quando as empresas do setor foram beneficiadas por políticas altamente favoráveis e cresceram de forma expressiva. Antes disso, e tendo relação direta com essas políticas benéficas, os empreiteiros desempenharam um papel bastante ativo no golpe de Estado de 1964. Nossa intenção nesse artigo é tentar apreender o posicionamento e a contribuição desse fração específica do empresariado brasileiro no golpe civil-militar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Pedreira Campos, phpcampos@yahoo.com.br

Doutor em História Social pela UFF e professor do Departamento de História e Relações Internacionais da UFRRJ.

Downloads

Publicado

2016-01-08

Como Citar

CAMPOS, P. H. P. Os Empreiteiros de Obras Públicas e o Golpe Civil de 1964. História Revista, Goiânia, v. 20, n. 1, p. 4–22, 2016. DOI: 10.5216/hr.v20i1/39363. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/39363. Acesso em: 1 jul. 2022.