"Animal de laboratório"? O caráter experimental do tratamento para a ancilostomíase proposto pela International Health Board/Fundação Rockefeller (Brasil, 1916-1923)

Autores

  • Ana Paula Korndörfer Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v20i2.35511

Palavras-chave:

Fundação Rockefeller, Brasil, ancilostomíase

Resumo

Entre 1916 e 1923, onze estados brasileiros e o Distrito Federal contaram com a cooperação da International Health Board da Fundação Rockefeller para combater a ancilostomíase. Milhares de pessoas diagnosticadas com a doença foram tratadas de acordo com o método proposto pela Fundação, o método intensivo, que sofreu modificações no país e foi alvo de críticas. O objetivo deste texto é discutir um aspecto sensível da atuação da Fundação no combate à ancilostomíase no Brasil: a utilização do óleo de quenopódio no tratamento proposto pela instituição norte-americana e, mais precisamente, o aspecto experimental deste tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Korndörfer, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

Pós-doutoranda PNPD/CAPES

Programa de Pós-Graduação em História - Unisinos

Downloads

Publicado

2015-11-24

Como Citar

KORNDÖRFER, A. P. "Animal de laboratório"? O caráter experimental do tratamento para a ancilostomíase proposto pela International Health Board/Fundação Rockefeller (Brasil, 1916-1923). História Revista, Goiânia, v. 20, n. 2, p. 60–79, 2015. DOI: 10.5216/hr.v20i2.35511. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/35511. Acesso em: 2 jul. 2022.