A cidade e os miasmas: notas para uma genealogia da medicina social no Rio de Janeiro (1829-1906)

Autores

  • Claudio Vinicius Felix Medeiros UERJ

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v20i2.34252

Palavras-chave:

Rio de Janeiro no séc. XIX, Medicinal social, Michel Foucault

Resumo

O artigo investiga como, ao longo do séc. XIX, pôde se constituir uma “medicina social” no Rio de Janeiro, assumindo-se como um “dispositivo de saber-poder”, e procurando refletir e modificar o meio histórico-natural com fins a investir na realidade biopolítica de uma população. Analisaremos, em seguida, as condições que possibilitaram a este dispositivo médico-higienista consagrar a associação habitação coletiva/epidemia no contexto das transformações urbanas operadas no Rio de Janeiro do prefeito Pereira Passos (1902-1906). Para tal, apoiamo-nos metodologicamente nos trabalhos genealógicos de Michel Foucault: tanto no que tange à convergência da filosofia e da história no itinerário de seu pensamento; quanto no princípio de imanência entre produção da verdade e mecanismos de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Vinicius Felix Medeiros, UERJ

Doutorando na Pós-Graduação em Filosofia da UERJ.

Downloads

Publicado

2015-11-24

Como Citar

MEDEIROS, C. V. F. A cidade e os miasmas: notas para uma genealogia da medicina social no Rio de Janeiro (1829-1906). História Revista, Goiânia, v. 20, n. 2, p. 4–19, 2015. DOI: 10.5216/hr.v20i2.34252. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/34252. Acesso em: 2 jul. 2022.