TERRAS E DOAÇÕES – IGREJAS, IRMANDADES E IMIGRANTES POLONESES NO PARANÁ - doi: 10.5216/hr.v18i2.29939

Autores

  • José Adilson Campigoto
  • João Carlos Corso
  • Rejane Klein

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v18i2.29939

Palavras-chave:

Colonização, imigração polonesa, irmandades, região densa

Resumo

Questões relativas ao uso e posse de terras são abordadas nesta pesquisa tendo, como foco de interesse, certas doações realizadas pelo Estado ou por proprietários particulares, em vista da construção de templos e outras destinações religiosas. O ponto de partida é a Irmandade de São José da Água Branca, São Mateus do Sul, PR, criada numa colônia basicamente de poloneses, para, entre outras obrigações, responsabilizar-se pelo ‘espaço do culto’. Por se tratar de um recorte temático, fazemos um percurso desde o Brasil colonial até meados do século XX; percorremos, igualmente, outros estados brasileiros, embora o enfoque esteja na região centro sul do estado do Paraná. Podemos concluir, através dessa pesquisa, que tal irmandade situa numa região densa da história, conectando aspectos da vida cultural, religiosa e política do país. Está vinculada à etnicidade, ao povoamento, aos rituais, à organização dos homens e mulheres do campo e da cidade, por fim, à ruralidade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-15

Como Citar

CAMPIGOTO, J. A.; CORSO, J. C.; KLEIN, R. TERRAS E DOAÇÕES – IGREJAS, IRMANDADES E IMIGRANTES POLONESES NO PARANÁ - doi: 10.5216/hr.v18i2.29939. História Revista, Goiânia, v. 18, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/hr.v18i2.29939. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/29939. Acesso em: 14 ago. 2022.