JOAQUIM MANUEL DE MACEDO E A ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA - doi: 10.5216/hr.v18i2.29865

Autores

  • José António Carvalho Dias de Abreu

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v18i2.29865

Palavras-chave:

Literatura, Escravatura, Abolicionismo.

Resumo

Após a abolição do tráfico negreiro, mas antes das Leis do Ventre Livre, dos Sexagenários, e da Lei Áurea, Joaquim Manuel de Macedo traça, em As vítimas algozes, um plano contra a escravidão que visa a sua abolição.Nessa medida, como obra abolicionista, constatam-se, ao longo dos textos, os constantes apelos do narrador à supressão do que ele considera um «cancro» que corrompe e que degrada o ser humano.Considerando que o mal de tudo veio de África, Macedo entende que o negro reduzido à escravatura provocou a degradação da sociedade, contaminando-a com os seus vícios. Dessa forma, dá-se a conhecer o processo de inversão no sistema escravocrata: a vítima, afinal, é o algoz, enquanto o opressor é vitimizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-15

Como Citar

DE ABREU, J. A. C. D. JOAQUIM MANUEL DE MACEDO E A ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA - doi: 10.5216/hr.v18i2.29865. História Revista, Goiânia, v. 18, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/hr.v18i2.29865. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/29865. Acesso em: 4 jul. 2022.