GUERRA HÍBRIDA NO ATLÂNTICO EQUINOCIAL. ÍNDIOS, PORTUGUESES E ESPANHÓIS NA CONQUISTA DO MARANHÃO E GRÃO-PARÁ (1614-1616) - doi: 10.5216/hr.v18i2.29859

Autores

  • Alírio Cardoso

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v18i2.29859

Palavras-chave:

Maranhão, Guerra, União Ibérica.

Resumo

Durante o governo de Filipe III da Espanha, foi organizada a maior campanha militar ocorrida no norte América portuguesa no período da União Ibérica (1580-1640). Efetivada entre os anos 1614 e 1616, a conquista do Maranhão e Grão Pará foi uma operação bélica internacional que contou com a participação de soldados indígenas, portugueses e espanhóis. Nesta campanha, organizada para dar fim à presença francesa na região, e incrementar a defesa da fronteira Norte, foram utilizadas táticas e armas híbridas, parte indígena, parte europeia. O objetivo deste artigo é refletir sobre a composição da armada portuguesa e a relação dinâmica entre os vários grupos que tomaram parte na conquista luso-espanhola do Maranhão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-15

Como Citar

CARDOSO, A. GUERRA HÍBRIDA NO ATLÂNTICO EQUINOCIAL. ÍNDIOS, PORTUGUESES E ESPANHÓIS NA CONQUISTA DO MARANHÃO E GRÃO-PARÁ (1614-1616) - doi: 10.5216/hr.v18i2.29859. História Revista, Goiânia, v. 18, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/hr.v18i2.29859. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/29859. Acesso em: 4 jul. 2022.