SABERES GUERREIROS DE ÍNDIOS E PORTUGUESES NA FORMAÇÃO DO BRASIL - doi: 10.5216/hr.v18i1.29851

Autores

  • João Marinho dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v18i1.29851

Palavras-chave:

Comportamentos, Tecnologias, Saberes

Resumo

Pese embora o surpreendente conjunto de inovações que se verificou na arte da guerra europeia na passagem da Idade Média para a Moderna, em sintonia com a evolução económica favorável, não se assistiu porém então a um surto científico. O saber, neste como em outros domínios, manteve-se muito mais prático do que teórico. Os Portugueses descobridores e conquistadores também não escaparam ao desígnio de uma notória submissão à mãe-natureza e, por tal, as práticas guerreiras, em muitos casos, afins das que eram usadas pelos ditos “selvagens”, em particular pelos Índios do actual litoral brasileiro. Contudo, os saberes e os meios técnicos dos europeus (incluindo os dos franceses concorrentes) levavam, obviamente, vantagem aos dos Índios. Enfim, como faziam uns e outros a guerra no período inicial da formação do Brasil?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-15

Como Citar

DOS SANTOS, J. M. SABERES GUERREIROS DE ÍNDIOS E PORTUGUESES NA FORMAÇÃO DO BRASIL - doi: 10.5216/hr.v18i1.29851. História Revista, Goiânia, v. 18, n. 1, 2014. DOI: 10.5216/hr.v18i1.29851. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/29851. Acesso em: 30 jun. 2022.