O FIO DA MEMÓRIA: AS PAISAGENS DO BRASIL HOLANDÊS

Autores

  • Francisco Isaac Dantas de Oliveira Instituto Federal de Ciências e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v19i2.27874

Palavras-chave:

Paisagem, Arte, Frans Post, Pintura etnográfica, Século XVII, Brasil holandês

Resumo

O objetivo deste texto é estudar a constituição do olhar holandês a partir da visualização da paisagem colonial nas telas dos pintores Frans Post e Albert Eckhout. Um dos temas escolhidos para este trabalho foi o estudo do conceito de memória por meio das imagens do Brasil holandês, sabe-se que os artistas envolvidos no projeto colonial neerlandês buscaram entender este “mundo” pelos conceitos naturais e humanos representados nas pinturas destes. Eles foram os primeiros pintores a retratarem as paisagens americanas com sua gente. Para compreender tal visão é de suma importância estudar as imagens imaginárias que foram erigidas por Post e Eckhout. Vamos utilizar primordialmente como fonte (visual) de pesquisa duas telas: O carro de bois de 1638 e Mameluca de 1643, todas as imagens foram produzidas quando Frans Post e Albert Eckhout estiveram na América holandesa integrando a comitiva do governador João Maurício de Nassau. Buscaremos trabalhar com uma metodologia que privilegie a leitura de fontes primárias visuais para assim compreendermos a paisagem colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Isaac Dantas de Oliveira, Instituto Federal de Ciências e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN

Graduação em História 2009 UnP, Mestre em História 2013 UFRN, Pós-Graduando em Literatura e Ensino pelo IFRN.

Downloads

Publicado

2015-01-19

Como Citar

DANTAS DE OLIVEIRA, F. I. O FIO DA MEMÓRIA: AS PAISAGENS DO BRASIL HOLANDÊS. História Revista, Goiânia, v. 19, n. 2, p. 159–186, 2015. DOI: 10.5216/hr.v19i2.27874. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/27874. Acesso em: 9 ago. 2022.