Chamada para submissão de artigos dossiê V. 27, n. 2: História, trabalho e cidadania

2022-05-27

dossiê v. 27, n. 2:

História, trabalho e cidadania

 

Coordenadores:

Francisco das Chagas Souza - Instituto Federal do Rio Grande do Norte

José António Martin Moreno Afonso - Universidade do Minho

Renato Marinho - Instituto Federal do Rio Grande do Norte

email: renato.marinho@ifrn.edu.br

 

Resumo:
O trabalho, numa perspectiva histórica, pode ser analisado em sua dimensão social, econômica e/ou cultural, mas também como ato técnico, com valorização econômica e inscrito numa organização social. Variados são os sentidos dados ao trabalho em distintos tempos, espaços e sociedades. Pela narrativa bíblica, “em todo trabalho há proveito”; no portão do campo de concentração de Auschwitz, judeus, negros, ciganos e homossexuais deparavam-se com a frase atroz “o trabalho liberta”. Na perspectiva marxista, o trabalho é visto como elemento de exploração e acumulação de riqueza por parte dos que detêm o capital, associado a um processo de alienação dos operários. Por diferentes olhares, do marxismo à história cultural, o trabalho é também entendido e interpretado como elemento constituinte de identidades coletivas e individuais, experiência sensorial e corporal, ou seja como vetor cardinal de socialização e integração social, estando sempre implícita nessas construções identitárias as variadas noções de cidadania. Na Inglaterra dos séculos XVIII e XIX, as Workhouses visavam educar pelo trabalho – trabalho forçado – com o argumento de transformar em cidadãos o que a legislação vigente definia como vadios. No Brasil do início do século XX, pós-abolição e proclamação da República, o educar pelo/para o trabalho era visto também, pelos grupos dirigentes, como caminho para transformar uma massa de homens tendentes ao mundo dos vícios, dos crimes e da vadiagem em cidadãos úteis à nação. No contexto de uma história global e conectada, é cada vez mais urgente encontrar as dimensões que permitam compreender a inserção do trabalho enquanto suporte dos direitos, realização pessoal, meio de produção e questão social crucial para os equilíbrios dos Estados modernos.
Diante do exposto, convidamos pesquisadores e pesquisadoras a enviarem manuscritos destinados à discussão de temas como trabalho e lutas sociais; instituições educativas dedicadas à formação para o trabalho; trabalho e educação; trabalhadores e suas organizações coletivas; trabalho e cultura; trabalho e identidades; memórias de trabalhadores, entre outros temas relacionados aos apresentados.


Prazo de submissão: 31 de agosto de 2022.