O AUTOCUIDADO DE CUIDADORES INFORMAIS EM DOMICILIO – PERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM

Autores

  • Cynthia Marques Vilaça Faculdade de Enfermagem
  • Daniela dos Santos Barreiros Faculdade de Enfermagem
  • Fabrício de Andrade Galli Faculdade de Enfermagem
  • Izabela Torquetti Borçari Faculdade de Enfermagem
  • Lubiana Fernandes de Andrade Faculdade de Enfermagem
  • Márcia Adriana Goulart Faculdade de Enfermagem
  • Caetano Laíse Conceição Faculdade de Enfermagem
  • Maria Lígia Mohallem Carneiro Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v7i2.878

Resumo

RESUMO: Trata-se de um relato de caso por meio de uma abordagem qualitativa que, como tal, empregou a subjetividade dos observadores na observação de portadores de Doença de Alzheimer (DA) e seus cuidadores familiares. Tem como objetivo refletir sobre a capacidade de autocuidado dos cuidadores domiciliares. Para isto foram realizados consultas nos prontuários-família, planejamento, execução e registro das visitas domiciliares (VD). Assim foram feitas observações em duas famílias. A reflexão sobre os dados analisados levou os autores a considerarem que a atuação do cuidador é permeada por sentimentos e dificuldades ligados a ocorrência de modificações no comportamento dos clientes portadores de DA. A capacidade de autocuidado dos cuidadores guarda estreita relação com a dinâmica familiar, que favorece ou não o papel do cuidador. PALAVRAS CHAVE: Saúde da Família; Cuidadores; Autocuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

26/12/2006

Como Citar

1.
Vilaça CM, Barreiros D dos S, Galli F de A, Borçari IT, Andrade LF de, Goulart MA, Conceição CL, Carneiro MLM. O AUTOCUIDADO DE CUIDADORES INFORMAIS EM DOMICILIO – PERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 26º de dezembro de 2006 [citado 20º de maio de 2022];7(2). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/878

Edição

Seção

Relato de Experiência