Enfermagem humanística: contribuição para o desenvolvimento da enfermeira na unidade neonatal

Autores

  • Karla Maria Carneiro Rolim Universidade de Fortaleza

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10i1.8019

Palavras-chave:

Processos de enfermagem, Relações enfermeiro-paciente, Recém-nascido, Enfermagem neonatal.

Resumo

Como enfermeiras, atuando em Neonatologia, acreditamos ser necessária uma reflexão para transpor obstáculos, procurando opções que levem a um trabalho com perspectiva emancipatória. Objetivamos investigar a prática da enfermeira na assistência ao RN de alto risco na UIN com base na Teoria Humanística; analisar a prática da enfermeira na assistência ao RN de alto risco, após aprimoramento do seu cuidado, embasado nos pressupostos da Teoria Humanística de Enfermagem, e elaborar um processo de cuidado humanístico ao RN com participação coletiva das enfermeiras. Pesquisa qualitativa, apoiada na Teoria Humanística de Paterson e Zderad, desenvolvida na UIN de uma maternidade-escola, na cidade de Fortaleza-CE, perfazendo um período de março a agosto de 2005. Os sujeitos foram dez enfermeiras atuantes na UIN. Para a coleta de dados foram realizadas reuniões semanais, em um período de 60 dias, as quais foram filmadas. No segundo momento, após as reuniões, usamos a observação participante na UIN para registrar a comunicação enfermeira/bebê/família/equipe interdisciplinar. No decorrer da análise, síntese e descrição buscamos compreendê-la à luz da Teoria Humanística, de Paterson e Zderad. Os dados foram organizados e apresentados por meio de quadros. As temáticas extraídas das falas e das filmagens das participantes, após reflexões das exposições teóricas desenvolvidas pelo grupo, foram: desmotivação, cuidado, ambiente, relacionamento interpessoal. Da temática desmotivação, emergiram as subtemáticas cansaço físico e mental, o re-trabalho na UIN, falta de perspectiva para mudanças, autoconhecimento; da temática cuidado, as subtemáticas foram autocuidado e cuidado ao bebê; da temática ambiente, emergiram as subtemáticas o ambiente da UIN e os sentimentos da enfermeira ao atuar na UIN; da temática relacionamento interpessoal, a subtemática foi relacionamento com a equipe interdisciplinar na UIN. O processo de cuidado humanístico ao RN foi elaborado coletivamente pelas enfermeiras após a compreensão do significado do seu estar-melhor em UIN, e incluiu todas as etapas da Teoria Humanística. Tentamos compreender as relações entre o discurso e a existência, o meio, a ambiência que rodeia a pessoa de cada enfermeira. A tese defendida alcança a compreensão da enfermeira sobre o significado da sua experiência, do seu estar-melhor ao cuidar do RN em UIN, pelo desenvolvimento da autoconsciência, da compreensão do outro, pelo olhar mais relacionador das diversidades, pelo estabelecimento de uma visão mais ampla das realidades vivenciadas em seu cotidiano, pela transição do seu egocentrismo para o compartilhamento de suas emoções, do seu saber e da sua vocação – o cuidar.

Palavras chave: Processos de enfermagem; Relações enfermeiro-paciente; Recém-nascido; Enfermagem neonatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/11/2009

Como Citar

1.
Rolim KMC. Enfermagem humanística: contribuição para o desenvolvimento da enfermeira na unidade neonatal. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de novembro de 2009 [citado 23º de maio de 2022];10(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8019

Edição

Seção

Resumo