A construção do feminino e do masculino no processo de cuidar crianças em creches

Autores

  • Vera Lúcia de Oliveira Gomes Universidade Federal do Rio Grande, Departamento de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10i1.8006

Palavras-chave:

Cuidado à criança, Identidade de gênero, Educação infantil, Enfermagem em saúde comunitária.

Resumo

Neste estudo, com abordagem qualitativa, fundamentado na concepção de habitus do sociólogo Pierre Bourdieu, objetivou-se investigar como se constrói o feminino e o masculino no processo de cuidar crianças em uma creche do Rio Grande/RS. Após aprovação do projeto pelo comitê de ética, colheram-se os dados, nos meses de março e abril de 2006, por meio de observação registrada em diário de campo, fotografias e entrevistas com as cuidadoras. Pela análise de conteúdo, apreendeu-se que elas são afetuosas e solícitas tanto com meninos quanto com meninas. Acreditam que o cuidado de crianças é atribuição instintivamente feminina e que homens, ao quererem desempenhá-la, necessitam de aprendizado. Evidenciou-se, pelas seções observacionais e fotografias que, de forma ora evidente, ora velada, os estereótipos de gênero são inculcados nas crianças e que o processo de cuidar é constantemente por eles permeado.

Palavras chave: Cuidado à criança; Identidade de gênero; Educação infantil; Enfermagem em saúde comunitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/11/2009

Como Citar

1.
Gomes VL de O. A construção do feminino e do masculino no processo de cuidar crianças em creches. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de novembro de 2009 [citado 23º de maio de 2022];10(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8006

Edição

Seção

Artigo Original