VIVENDO O SOFRIMENTO E OS DESAFIOS NO TRABALHO: expressões autocríticas de um grupo de enfermeiros-educadores

Autores

  • Claudiniete M da C Bezerra Vasconcelos Faculdade de Enfermagem
  • Marta Lenise do Prado Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v6i1.800

Resumo

RESUMO: Este é um recorte da minha dissertação de mestrado, que teve como objetivo conhecer as expressões autocríticas de enfermeiros-educadores sobre seu processo de trabalho, na formação de técnicos de Enfermagem. A metodologia utilizada como referencial foi a concepção construtivista, sócio-interacionista de Vygotsky e reuniu expressões de um grupo docente profissional de Enfermagem atuante em um Estado da Região Sul do Brasil. Foram realizadas sessões temáticas e sistemáticas com os sujeitos deste estudo e exploradas as narrações feitas a respeito de suas respectivas vivências pedagógicas. Como procedimento de análise foi adotado o método proposto por Trentini, Paim. Os resultados apontam que esses enfermeiros-educadores expressam o prazer de lidar com a educação profissional voltado a formação de técnicos de Enfermagem e o sofrimento de um processo de trabalho implicado em desvalorização de múltiplas ordens. Além disso, revelam os indicativos de organização interna de uma rede social, interacionista entre os sujeitos desse nível de educação com tendência a contínua construção de mudanças dirigidas à competência pedagógica desse grupo. PALAVRAS–CHAVE: Enfermagem; Expressões autocríticas; Processo de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21/12/2006

Como Citar

1.
Vasconcelos CM da CB, Prado ML do. VIVENDO O SOFRIMENTO E OS DESAFIOS NO TRABALHO: expressões autocríticas de um grupo de enfermeiros-educadores. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 21º de dezembro de 2006 [citado 17º de maio de 2022];6(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/800

Edição

Seção

Artigo Original