Prevalência e fatores associados ao comportamento suicida e à tentativa de suicídio identificados no acolhimento em ambulatórios de saúde mental

Autores

  • Carla Gabriela Wünsch Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: carla.wunsch@ufmt.br. https://orcid.org/0000-0002-1263-1120
  • Ana Karolina Lobo da Silva Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: karol.lobo95@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-6098-4860
  • Bia Stephanny Apodaca Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: biaapodaca99@gmail.com. https://orcid.org/0000-0001-7745-8149
  • Frantielen Castor dos Santos Nascimento Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: frantielen.castor@gmail.com.
  • Mirelly Thaina de Oliveira Cebalho Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: mihcebalho@gmail.com.
  • Carlos Alberto dos Santos Treichel Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil. E-mail: treichelcarlos@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-0440-9108
  • João Lucas Campos de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: joao-lucascampos@hotmail.com. https://orcid.org/0000-0002-1822-2360

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v24.72997

Palavras-chave:

Comportamento Autodestrutivo, Suicídio, Assistência Ambulatorial, Saúde Mental

Resumo

Objetivo: analisar a prevalência e os fatores associados ao comportamento suicida e a tentativa de suicídio identificados em acolhimentos em ambulatórios de saúde mental. Métodos: estudo transversal, de análise documental, que teve como fonte as fichas de acolhimento de adultos atendidos em ambulatórios de saúde mental de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, entre fevereiro de 2016 a junho de 2018. Foram calculadas frequências simples e percentuais para descrição das variáveis e odds ratio bruto e ajustado para sexo e idade, por meio de modelo de regressão logística. Resultados: foram analisados os registros de 1.780 acolhimentos. A prevalência de comportamento suicida foi de 7,8% e de tentativa de suicídio 4,8%. Fatores associados para cada fenômeno foram identificados. Conclusão: sexo feminino, transtorno mental e uso de substância psicoativa foram associados tanto ao comportamento suicida como a tentativa de suicídio. Essas características podem direcionar ações de qualificação ao acolhimento nestes serviços especializados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Botega NJ. Crise Suicida: avaliação e manejo. Porto Alegre: Artmed; 2015.

World Health Organization. One in 100 deaths is by suicide [Internet]. 2021 jun. 17 [cited 2022 Dec 28]. Available from: https://www.who.int/news/item/17-06-2021-one-in-100-deaths-is-by-suicide

World Health Organization. World Suicide Prevention Day 2022 - Creating hope Through Action [Internet]. 2022 sep. 10 [cited 2022 Dec 28]. Available from: https://www.who.int/news-room/events/detail/2022/09/10/default-calendar/world-suicide-prevention-day-2022

Pan American Health Organization. Suicide mortality in the Region of the Americas. Regional Report 2015-2019. Washington, DC: Pan American Health Organization; 2021. doi: 10.37774/9789275124765

Palma DCA, Santos ES, Ignotti E. Análise dos padrões espaciais e caracterização dos suicídios no Brasil entre 1990 e 2015. Cad. Saúde Pública. 2020;36(4):e00092819. doi: 10.1590/0102-311x00092819

Portaria 3.588 do Ministério da Saúde, de 21 de dezembro de 2017 (BR) [Internet]. Dispõe sobre a Rede de Atenção Psicossocial. Diário Oficial da União. 21 dez. 2017 [cited 2022 Dec 28]. Available from: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt3588_22_12_2017.html

Silva DA, Marcolan JF. Tendência da taxa de mortalidade por suicídio no Brasil. Rev. baiana enferm. 2022;36:e45174. doi: 10.18471/rbe.v36.45174

Jordans M, Rathod S, Fekadu A, Medhin G, Kigozi F, Kohrt B, et al. Suicidal ideation and behaviour among community and health care seeking populations in five low- and middle-income countries: A cross-sectional study. Epidemiol Psychiatr Sci. 2018;27(4):393-402. doi: 10.1017/S2045796017000038

Aguiar RA, Riffel RT, Acrani GO, Lindemann IL. Tentativa de suicídio: prevalência e fatores associados entre usuários da Atenção Primária à Saúde. J. bras. psiquiatr. 2022;71(2):133-40. doi: 10.1590/0047-2085000000379

Ribeiro JM, Moreira MR. Uma abordagem sobre o suicídio de adolescentes e jovens no Brasil. Ciênc. Saúde Colet. 2018;23(9):2821-34. doi: 10.1590/1413-81232018239.17192018

Olfson M, Blanco C, Wall M, Liu SM, Sasha TD, Pickering RP, et al. National Trends in Suicide Attempts Among Adults in the United States. JAMA Psychiatry. 2017;74(11):1095-103. doi: 10.1001/jamapsychiatry.2017.2582

Ribeiro NM, Castro SS, Scatena LM, Haas VJ. Análise da tendência temporal do suicídio e de sistemas de informações em saúde em relação às tentativas de suicídio. Texto contexto - enferm. 2018;27(2):e2110016. doi: 10.1590/0104-070720180002110016

Arruda VL, Freitas BHBM, Marcon SR, Fernandes FY, Lima NVP, Bortolini J. Suicídio em adultos jovens brasileiros: série temporal de 1997 a 2019. Ciênc. Saúde Colet. 2021;26(7):2699-708. doi: 10.1590/1413-81232021267.08502021

Machado DB, Santos DN. Suicídio no Brasil, de 2000 a 2012. J. bras. psiquiatr. 2015;64(1):45-54. doi: 10.1590/0047-2085000000056

Cordoví AT, Montes YE, Batista TC, Pérez YYS. Factores de riesgo asociados a intento suicida en adolescentes. Unidad de cuidados intensivos pediátricos. 2018-2019. Multimed [Internet]. 2021 [cited 2022 Dec 28];25(3):e1753. Available from: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1028-48182021000300002&lng=es. Espanhol.

Borba LO, Ferreira ACZ, Capistrano FC, Kalinke LP, Maftum MA, Maftum GJ. Fatores associados à tentativa de suicídio por pessoas com transtorno mental. REME rev. min. enferm. 2020;24:e-1284. doi: 10.5935/1415-2762.20200013

Olinda KRS, Santos RF, Marques THC. Fatores associados ao comportamento suicida em hospital psiquiátrico: estudo transversal. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2020;12(6):e3050. doi: 10.25248/reas.e3050.2020

Nascimento LA, Leão A. Estigma social e estigma internalizado: a voz das pessoas com transtorno mental e os enfrentamentos necessários. Hist. cienc. saude-Manguinhos. 2019;26(1):103-21. doi: 10.1590/s0104-59702019000100007

Zhao CJ, Dang XB, Su XL, Bai J, Ma LY. Epidemiology of suicide and Associated Socio-Demographic Factors in Emergency Department Patients in 7 General Hospitals in Northwestern China. Med Sci Monit 2015;21:2743-9. doi: 10.12659/MSM.894819

Silvério MI, Souza LS, Murgo CS. Comportamento suicida no ensino superior brasileiro: uma revisão integrativa. Revista Brasileira de Ensino Superior. 2019;5(1):61-78. doi: 10.18256/2447-3944.2019.v5i1.3544

Nie J, O'Neil A, Liao B, Lu C, Aune D, Wang Y. Risk factors for completed suicide in the general population: A prospective cohort study of 242, 952 people. J. affect. disord. 2021. 1;282:707-11. doi: 10.1016/j.jad.2020.12.132

Schmutte T, Costa M, Hammer P, Davidson L. Comparisons between suicide in persons with serious mental illness, other mental disorders, or no known mental illness: Results from 37 U.S. states, 2003-2017. Schizophr Res. 2021;228:74-82. doi: 10.1016/j.schres.2020.11.058

Angelakis I, Gillespie EL, Panagioti M. Childhood maltreatment and adult suicidality: a comprehensive systematic review with meta-analysis. Psychol Med. 2019;49(7):1057-78. doi: 10.1017/S0033291718003823

Oliveira EN, Carvalho AG, Moreira RMM, Melo BT, Lima GF, Ximenes Neto FRG. Interfaces between abusive use of psychoactive substances, presence of comorbidities, and suicide risk. Research, Society and Development. 2020;9(7):e262974172. doi: 10.33448/rsd-v9i7.4172

Silva JVS, Motta HL. Comportamento suicida: uma revisão integrativa da literatura. Educação, Psicologia e Interfaces. 2017;1(2):51-67. doi: 10.37444/issn-2594-5343.v1i2.25

Publicado

29/12/2022

Como Citar

1.
Wünsch CG, Silva AKL da, Apodaca BS, Nascimento FC dos S, Cebalho MT de O, Treichel CA dos S, Oliveira JLC de. Prevalência e fatores associados ao comportamento suicida e à tentativa de suicídio identificados no acolhimento em ambulatórios de saúde mental. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 29º de dezembro de 2022 [citado 17º de junho de 2024];24:72997. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/72997

Edição

Seção

Artigo Original