A subjetividade permeando o processo de cuidar em enfermagem à criança com dor

Autores

  • Karin Rosa Persegona Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
  • Maria Ribeiro Lacerda Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
  • Ivete Palmira Sanson Zagonel Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós Graduação em Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v9i2.7210

Palavras-chave:

Enfermagem pediátrica, Cuidados de enfermagem, Dor pós-operatória.

Resumo

Artigo de reflexão que teve como objetivo discutir sobre a subjetividade que permeia o processo de cuidar de enfermagem à criança com dor pós-operatória, construído a partir da prática profissional e do referencial teórico acerca do tema. Cuidar da criança com dor pós-operatória requer habilidades e posturas peculiares, como a observação, a perspicácia, a escuta, a presença. Somente assim é possível perceber a subjetividade da criança que vivencia a dor, o que determinará a melhor forma de planejar o cuidado humano e adequá-lo às necessidades apresentadas. O reconhecimento da subjetividade que permeia o processo de cuidar apresenta-se como mais uma ferramenta para o processo de lapidação do cuidado humano e solidário, que tem sido a grande busca da enfermagem ao longo da sua história. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

09/09/2009

Como Citar

1.
Persegona KR, Lacerda MR, Zagonel IPS. A subjetividade permeando o processo de cuidar em enfermagem à criança com dor. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 9º de setembro de 2009 [citado 22º de maio de 2022];9(2). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/7210

Edição

Seção

Artigo de Atualização