AUTONOMIA E CAPACIDADE DECISÓRIA DOS IDOSOS DE BAIXA RENDA: UMA PROBLEMÁTICA A SER CONSIDERADA NA SAÚDE DO IDOSO.

Autores

  • Zenith Rose dos Santos Pires Faculdade de Enfermagem
  • Maria Josefina da Silva Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v3i2.717

Resumo

Resumo - Este trabalho aborda a autonomia, nas atividades de vida diária de um grupo de pessoas idosas residentes em uma comunidade de baixa renda. O objetivo central do trabalho é avaliar esses níveis de autonomia nas atividades de vida diária, com relação às atividades instrumentais, afetivas, sociais, físicas e espirituais, estendidas dita avaliação à capacidade de decisão na sua vida cotidiana. Trata-se de um estudo exploratório e análise quantitativa, com aspectos qualitativos. A pesquisa foi desenvolvida em uma área do Centro de Desenvolvimento Familiar, unidade de atendimento em atenção primária da Universidade Federal do Ceará, vinculada à Pró-reitoria de Extensão. A autonomia constitui um elemento fundamental para a manutenção da saúde do idoso, sendo esse um dos objetivos da Política Nacional do Idoso - PNI. Podemos concluir que a maioria dos idosos entrevistados é autônoma e capaz de realizar suas atividades cotidianas, mesmo sendo portadores de alguma doença crônico-degenerativa. A família exerce uma função importante na manutenção dessa autonomia e também na capacidade de decisão dessa clientela. Unitermos: Idoso, Autonomia, Família, Atividade de vida diária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21/12/2006

Como Citar

1.
Pires ZR dos S, Silva MJ da. AUTONOMIA E CAPACIDADE DECISÓRIA DOS IDOSOS DE BAIXA RENDA: UMA PROBLEMÁTICA A SER CONSIDERADA NA SAÚDE DO IDOSO. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 21º de dezembro de 2006 [citado 24º de maio de 2022];3(2). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/717

Edição

Seção

Artigo Original