Exame ocular externo em recém-nascidos prematuros: resultados e dificuldades

Autores

  • Ingrid Martins Leite Lúcio Universidade Federal do Ceará
  • Maria Vera Lúcia Moreira Leitão Cardoso Universidade Federal do Ceará
  • Paulo César de Almeida Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v9i1.7142

Palavras-chave:

Enfermagem neonatal, Saúde ocular, Cuidados de enfermagem.

Resumo

O exame ocular externo é uma ação simples para detectar alterações visuais na fase neonatal. Buscou-se descrever os achados clínicos deste e correlacioná-los com algumas variáveis da história neonatal, em recém-nascidos prematuros (RNPT). Estudo descritivo, quantitativo realizado numa maternidade pública, em Fortaleza-CE, em março, abril e maio de 2004 com 114 RNPT, por meio de um formulário. Quanto aos achados, 27% dos RNPT apresentaram alteração na pálpebra, 16% na conjuntiva, 14% na esclera, 9% no ducto lacrimal, 6% na córnea e 5% na pupila. Nenhum apresentou alteração nas sobrancelhas e íris. Houve associação significativa entre alteração de esclera e uso de solução e/ou medicamento via ocular (p= 0,055). Como dificuldades encontraram-se: a abordagem ao manuseio, os poucos períodos em alerta e a pequenez das estruturas do olho. O enfermeiro precisa conhecer as principais alterações visuais neonatais, pois seus cuidados permeiam terapêuticas que podem trazem complicações para o sistema visual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06/09/2009

Como Citar

1.
Lúcio IML, Cardoso MVLML, Almeida PC de. Exame ocular externo em recém-nascidos prematuros: resultados e dificuldades. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 6º de setembro de 2009 [citado 19º de maio de 2022];9(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/7142

Edição

Seção

Artigo Original