O cuidado da criança dependente de tecnologia na atenção primária à saúde: uso da simulação

Autores

  • Karina Sofia Tavares Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, karina.s.tavares@gmail.com. https://orcid.org/0000-0001-7012-9262
  • Juliana Coelho Pina Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, pina.juliana@ufsc.br. https://orcid.org/0000-0002-5037-5367
  • Ana Izabel Jatobá de Souza Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, aijsenf@gmail.com. https://orcid.org/0000-0003-3843-6144
  • Rosani Ramos Machado Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, rosani.ramos@ufsc.br. https://orcid.org/0000-0001-8287-4171
  • Laura Cavalcanti de Farias Brehmer Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, laura.brehmer@ufsc.br. https://orcid.org/0000-0001-9965-8811
  • Margarete Maria de Lima Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, margarete.lima@ufsc.br. https://orcid.org/0000-0003-2214-3072

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v23.65819

Palavras-chave:

Educação Continuada, Crianças com Deficiência, Enfermagem Pediátrica, Atenção Primária à Saúde, Simulação

Resumo

Objetivo: identificar e descrever as contribuições da simulação na capacitação da equipe de enfermagem da Atenção Primária à Saúde para o cuidado da criança dependente de tecnologia. Métodos: estudo qualitativo, exploratório e descritivo, realizado entre agosto e setembro de 2018, com profissionais de enfermagem de quatro centros de saúde de Florianópolis-SC, os quais participaram de capacitações teórico-práticas baseadas em simulações. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada e submetidos à análise de conteúdo. Resultados: emergiram duas categorias, que abordaram a contribuição da simulação para o cuidado da criança dependente de tecnologia e as fragilidades do processo de trabalho, que demandam a necessidade de educação permanente. Conclusão: os profissionais relataram ganhos percebidos no resgate de conhecimentos e no desenvolvimento de habilidades, com potencial impacto nos cuidados da criança dependente de tecnologia, contribuindo para superação das fragilidades e barreiras encontradas pelos profissionais no cuidado domiciliar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Okido ACC, Cunha ST, Neves ET, Dupas G, Lima RAG. Criança dependente de tecnologia e a demanda de cuidado medicamentoso. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2016 [acesso em: 07 out. 2021];69(4):718-24. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690415i.

Souza EM, Macedo EC, Silva LR, Moreira A. Rede social de apoio a uma criança dependente de tecnologia. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];9(1):79-84. Disponível em: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i1.79-84.

Esteves SJ, Silva FL, Conceição DS, Paiva ED. Families’ concerns about the care of children with technology-dependent special health care needs. Invest Educ Enferm [Internet]. 2015 [acesso em: 07 out. 2021];33(3):547-55. Disponível em: https://doi.org/10.17533/udea.iee.v33n3a19.

Okido ACC, Zago MMF, Lima RAG. Care for technology dependent children and their relationship with the health care systems. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2015 [acesso em: 07 out. 2021];23(2):291-8. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-1169.0258.2554.

Meska MHG, Mazzo A, Jorge BM, Souza-Junior VD, Negri EC, Chayamiti EMPC. Urinary retention: implications of low-fidelity simulation training on the self-confidence of nurses. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. 2016 [acesso em: 07 out. 2021];50(5):831-7. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0080-623420160000600017.

Sebold LF, Böell JEW, Girondi JBR, Santos JLG. Simulação clínica: desenvolvimento de competência relacional e habilidade prática em fundamentos de enfermagem. Rev enferm UFPE on line [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];11(Supl. 10):4184-90. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/231181/25158.

Polit DF, Beck TB. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática de enfermagem. 7ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Coutinho VRD, Martins JCA, Pereira MFCR. Construção e Validação da Escala de Avaliação do Debriefing associado à Simulação (EADaS). Rev. Enf. Ref. [Internet]. 2014 [acesso em: 07 out. 2021];IV(2):41-50. Disponível em: https://doi.org/10.12707/RIII1392.

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª ed. Petrópolis: Vozes; 2010.

Ferreira SRS, Périco LAD, Dias VRFG. The complexity of the work of nurses in Primary Health Care. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2018 [acesso em: 07 out. 2021];71(Suppl 1):704-9. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0471.

Barbiani R, Nora CRD, Schaefer R. Nursing practices in the primary health care context: a scoping review. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2016 [acesso em: 07 out. 2021];24:e2721. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1518-8345.0880.2721.

Belmiro SSDR, Miranda FAN, Moura IBL, Carvalho SR, Monteiro AI. Atuação da Equipe de Enfermagem na Assistência à Criança com Deficiência na Atenção Primária à Saúde. Rev enferm UFPE on line [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];11(Suppl 4):1679-86. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/15265/18065.

Negri EC, Mazzo A, Martins JCA, Pereira Junior GA, Almeida RGS, Pedersoli CE. Clinical simulation with dramatization: gains perceived by students and health professionals. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];25:e2916. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1518-8345.1807.2916.

Aued GK, Bernardino E, Peres AM, Lacerda MR, Dallaire C, Ribas EM. Competências clínicas do enfermeiro assistencial: uma estratégia para gestão de pessoas. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2016 [acesso em: 07 out. 2021];69(1):142-9. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690119i.

Piña-Jiménez I, Amador-Aguilar R. La enseñanza de la enfermería con simuladores, consideraciones teórico-pedagógicas para perfilar un modelo didáctico. Enferm. univ. [Internet]. 2015 [acesso em: 07 out. 2021];12(3):152-9. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.reu.2015.04.007.

Costa RRO, Medeiros SM, Vitor AF, Lira ALBC, Martins JCA, Araújo MS. Tipos e finalidades da simulação no ensino de graduação em enfermagem: revisão integrativa da literatura. Rev. baiana enferm. [Internet]. 2016 [acesso em: 07 out. 2021];30(3):1-11. Disponível em: https://doi.org/10.18471/rbe.v30i3.16589.

Nóbrega VM, Silva MEA, Fernandes LTB, Viera CS, Reichert APS, Collet N. Chronic disease in childhood and adolescence: continuity of care in the Health Care Network. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];51:e03226. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1980-220x2016042503226.

Zamberlan KC, Neves ET, Silveira A, Paula CC. O cuidado familial à criança com necessidades especiais de saúde no contexto da comunidade. Ciênc. cuid. saúde. 2013;12(2):290-7.

Ipuchima JR, Souza AC, Pelegrini AHW. Prática assistencial dos enfermeiros em atenção primária à saúde: revisão integrativa. Journal of Nursing and Health [Internet]. 2017 [acesso em: 07 out. 2021];7(3):e177303. Disponível em: https://doi.org/10.15210/jonah.v7i3.9131.

Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2009 [acesso em: 07 out. 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_educacao_permanente_saude.pdf.

Publicado

19/10/2021

Como Citar

1.
Tavares KS, Pina JC, Souza AIJ de, Machado RR, Brehmer LC de F, de Lima MM. O cuidado da criança dependente de tecnologia na atenção primária à saúde: uso da simulação. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 19º de outubro de 2021 [citado 16º de agosto de 2022];23. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/65819

Edição

Seção

Artigo Original