A (Trans)Formação de Enfermeiras Residentes em Saúde Mental

Autores

  • Ana Carolina Pinto Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, ana-carolina_pinto@hotmail.com.
  • Rosana Maria de Oliveira Silva Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, rosanaosilva@hotmail.com. 
  • Josicélia Dumêt Fernandes Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, jodumet@gmail.com.
  • Ana Lúcia Arcanjo Oliveira Cordeiro Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, email: anaarcanjo@hotmail.com.
  • Giselle Alves da Silva Teixeira Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, contato@giselleteixeira.com.br. 

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v23.65435

Palavras-chave:

Internato Não Médico, Saúde Mental, Educação, Especialização, Enfermagem

Resumo

Objetivo: Analisar como o pilar da educação aprender a ser se constitui na formação de enfermeiras residentes em Saúde Mental. Método: Trata-se de uma pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa, com campo empírico a Escola de Enfermagem de uma Universidade pública do nordeste do Brasil. A coleta de dados, realizada entre outubro e maio de 2018, ocorreu por entrevista semiestruturada, com 17 enfermeiras. A análise foi feita à luz do referencial teórico dos Pilares da Educação de Jacques Delors. Resultados: O pilar da educação aprender a ser evidenciou a Transformação para a prática profissional com crescimento pessoal culminando no aprimoramento do ser enfermeira em saúde mental. Conclusão: Desse modo, o curso de residência contribuiu para o desenvolvimento de habilidades profissionais para o cuidado em saúde mental em uma perspectiva holística e de constituição do ser enfermeira, ao permitir transformações pessoais que contribuem para uma formação mais humanizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Silva JVS, Brandão TM. Contribuições de uma residência em psiquiatria e saúde mental na formação dos enfermeiros egressos. Enfermagem em Foco. 2020;10(6): 57-62. https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n6.2334.

Casanova IA, Batista NA, Moreno LR. A educação interprofissional e a prática compartilhada em programas de residência multiprofissional em saúde. Interface. 2018;22(Supl. 1):1325-37. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0186.

Gadelha AKS, Bezerra AC, Paula GLC, Luz PCM. Vivências na rede de saúde e psicologia: interações da residência multiprofissional em saúde da família. Sanare. 2018;17(1):110-18.https://doi.org/10.36925/sanare.v17i1.1229.

Nascimento DDG, Oliveira MAC. Competências profissionais e o processo de formação na residência multiprofissional em Saúde da Família. Saúde Soc. 2010;19(4):814-27. https://doi.org/10.1590/S0104-12902010000400009.

Onocko-Campos R, Emerich BF, Ricci EC. Residência multiprofissional em saúde mental: suporte teórico para o percurso formativo. Interface. 2019;23(1):e170813. https://doi.org/10.1590/Interface.170813.

Elias ADS, Tavares CMM, Muniz MP. A interseção entre ser enfermeiro e ser terapeuta em saúde mental. Rev Bras Enferm. 2020;73(1):e20180134. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0134.

Wetzel C, Kohlrausch ER, Pavani FM, Batistella FS, Pinho LB. Analysis of interprofessional in- service education in a Psychosocial Care Center. Interface. 2018;22(Supl. 2):1729-38. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0664.

Delors J. Educação: um tesouro a descobrir. 2a ed. São Paulo: Cortez; 2003.

Bardin L. Análise de conteúdo. Luís Augusto Pinheiro, tradução. 70a ed. São Paulo; 2016.

Brito ARRT, Meneses LBA, Soares VL, Rocha RCS, Meneses JR, Paula AFR. Atuação multiprofissional do enfermeiro residente em saúde mental na Atenção Básica: relato de experiência. Saúde em Redes. 2018;4(4):135-46. https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n4.2251g330.

Paulon SM, Protazio MM, Tschiedel R. “Eu sei o que é saúde mental!”: pesquisar e cuidar como fios da mesma trama. Rev Polis Psique. 2018;8(1):6-32. http://dx.doi.org/10.22456/2238-152X.80412.

Lima ICBF, Passos ICF. Residências integradas em saúde mental: para além do tecnicismo. Trabralho, Educação e Saúde. 2019;17(2):e0020940. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00209.

Constantinidis TC, Cid MFB, Santana LM, Renó SR. Conceptions of mental health professionals about the therapeutic activity in the CAPS. Trends Psychol. 2018;26(2):911-26. https://doi.org/10.9788/TP2018.2-14En.

Leite MD, Barros MMA. Concepções de residentes em saúde mental sobre o cuidado ofertado em rede de atenção psicossocial. Interinst Bras Ter Ocup. 2018;2(1):126-44. https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto11643.

Brasil CC, Oliveira PRS, Vasconcelos APSM. Perfil e trajetória profissional dos egressos de residência multiprofissional: trabalho e formação em saúde. Sanare. 2017; 16(1):60-6. https://doi.org/10.36925/sanare.v17i1.1232.

Pereira ALF, Mouta RJO, Barbosa DSP. The creation process of the specialization course in Obstetric Nursing, residency modality, in the municipal health network of Rio de Janeiro, Brazil. Cult Cuid. 2018; 22(51):114- 23. http://dx.doi.org/10.14198/cuid.2018.51.13.

Yama B, Hodgins M, Boydell K, Schwartz S. A qualitative exploration: questioning multisource feedback in residency education. BCM Medical Education. 2018,18(170): 1-6. https://doi.org/10.1186/s12909-018-1270-7.

Mateus NGM, Machado DA. A formação multiprofissional em saúde sob a ótica do residente. Rev Fund Care Online. 2018;10(2):593-8. https://doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.593-598.

Silva LB. Residência multiprofissional em saúde no Brasil: alguns aspectos da trajetória histórica. Rev Katálysis. 2018;21(1):200-9. https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n1p200.

Amarante P. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 2a ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2015.

Rotelli F. Empresa social: construindo sujeitos e direitos. In: AMARANTE, P. Ensaios: subjetividade, saúde mental, sociedade. 1a ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2000, p. 301-6.

Publicado

04/10/2021

Como Citar

1.
Pinto AC, Silva RM de O, Fernandes JD, Cordeiro ALAO, Teixeira GA da S. A (Trans)Formação de Enfermeiras Residentes em Saúde Mental. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 4º de outubro de 2021 [citado 20º de agosto de 2022];23. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/65435

Edição

Seção

Artigo Original