Determinantes sociais da saúde de mulheres imigrantes haitianas: repercussões no enfrentamento da COVID-19

Autores

  • Jeane Barros de Souza Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, jeanebarros18@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-0512-9765
  • Ivonete Teresinha Schülter Buss Heidemann Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ivoneteheideman@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-6216-1633
  • Erica de Brito Pitilin Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, erica.pitilin@uffs.edu.br https://orcid.org/0000-0003-3950-2633
  • Julia Valeria de Oliveira Vargas Bitencourt Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, julia.bitencourt@uffs.edu.br https://orcid.org/0000-0002-3806-2288
  • Carine Vendruscolo Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianopolis, Santa Catarina, Brasil, carine.vendruscolo@udesc.br https://orcid.org/0000-0002-5163-4789
  • Crhis Netto de Brum Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Santa Catarina, Brasil, crhis.brum@uffs.edu.br https://orcid.org/0000-0002-2970-1906

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v22.64362

Palavras-chave:

Emigração e Imigração, Determinantes Sociais da Saúde, COVID-19, Saúde da mulher, Enfermagem em Saúde Pública

Resumo

Objetivos: Compreender as repercussões da COVID-19 no contexto dos determinantes sociais da saúde de mulheres imigrantes haitianas. Método: Estudo qualitativo, tipo ação-participante, fundamentado nos pressupostos de Freire, realizando-se um Círculo de Cultura Virtual, com a participação de 11 mulheres imigrantes haitianas. Foram percorridas as etapas do Itinerário de Pesquisa: Investigação Temática; Codificação e Descodificação; Desvelamento Crítico. Resultados: Nos diálogos emergiram o medo em relação à pandemia, escassos recursos econômicos, preconceito e racismo como aspectos dos determinantes sociais de saúde, que implicam na sua saúde mental das imigrantes, mas que referiram sentir-se acolhidas no Brasil. Conclusão: A partir dos determinantes sociais da saúde, apresentados pelas mulheres imigrantes haitianas no enfrentamento da pandemia mostra- se relevante a articulação entre ações de promoção da saúde, com ênfase na competência cultural, de forma a estimular o empoderamento das pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

20/12/2020

Como Citar

1.
Souza JB de, Heidemann ITSB, Pitilin E de B, Bitencourt JV de OV, Vendruscolo C, Brum CN de. Determinantes sociais da saúde de mulheres imigrantes haitianas: repercussões no enfrentamento da COVID-19. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 20º de dezembro de 2020 [citado 23º de maio de 2022];22. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/64362

Edição

Seção

Artigo Original