Proposições de enfermeiros coordenadores para a implantação do Programa 5S na Atenção Primária à Saúde

Autores

  • Taciana Vedovatto Klein Kerschner Prefeitura Municipal de Igrejinha, Igrejinha, Rio Grande do Sul, Brasil, tacykerschner@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-5092-5453
  • Clarissa Bohrer da Silva Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, clabohrer@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-1254-019X
  • Vilma Constancia Fioravante dos Santos Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT), Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil, vilmacfsantos@gmail.com https://orcid.org/0000-0003-1075-1871
  • Gímerson Erick Ferreira Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, gimersonerick.ufmt@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-4039-0205

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v22.57943

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Enfermagem, Administração de Serviços de Saúde, Gestão em Saúde

Resumo

Objetivou-se construir coletivamente com enfermeiros coordenadores uma proposta de implantação do Programa 5S nas unidades de Atenção Primária à Saúde. Trata-se de uma pesquisa-intervenção, realizada com 12 enfermeiros de um município do Vale do Paranhana, Rio Grande do Sul. O estudo ocorreu de agosto a outubro de 2018, a partir de três sessões de grupos focais guiadas por temas, com duração média de uma hora. Foi utilizada análise de conteúdo temática. Os participantes consideram importante a aplicabilidade do Programa 5S na Atenção Primária à Saúde, entretanto, destacam como dificuldade na aplicação deste a falta de espaço físico e de tempo para continuidade das ações. Foi evidenciada a responsabilidade do enfermeiro no trabalho gerencial e construiu-se conjuntamente um planejamento estratégico de implantação do Programa. Este estudo contribui para a melhoria da qualidade dos serviços a partir do planejamento da implantação do Programa 5S na Atenção Primária à Saúde e dá visibilidade às demandas organizacionais dos processos de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Souza BC, Pinto GA, Paula PP, Lobo RJ, Souza FVP. Implantação do programa 5S através da metodologia DMAIC. Braz J of Develop [Internet]. 2018 [acesso em: 13 fev. 2019];4(5):2163-79. Disponível em: http://brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/245/204.

Carvalho PC. O Programa 5S e a Qualidade Total. São Paulo: Alínea; 2011.

Silva RP, Chelles PC. Melhorando a ambiência de uma Unidade Básica de Saúde através do Programa “5S”. Rev Ciência & Desenvolvimento [Internet]. 2017 [acesso em: 25 jan. 2019];10(3):451-64. Disponível em: http://srv02.fainor.com.br/revista/index.php/memorias/article/view/686/356.

Lucca C, Junqueira AGW. Gestão da qualidade: possibilidades de implementação do Programa em uma indústria de componentes de plástico e borracha. Destaques Acadêmicos [Internet]. 2011 [acesso em: 25 jan. 2019];3(1):1-16. Disponível em: http://www.univates.br/revistas/index.php/destaques/article/view/209/205.

Ribeiro H. Como formar a cultura do 5S na empresa. São Caetano do Sul: PDCA Editora; 2015.

Pasquini NC. Implantação do 10S como ferramenta de gestão de qualidade em hospital. Rev Qualidade Emergente [Internet]. 2015 [acesso em: 25 jan. 2019];6(1):13-26. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/qualidade/article/view/28678/33830.

Galdino SV, Reis ÉM, Santos C, Soares F, Lima F, Caldas J, et al. Ferramentas de qualidade na gestão dos serviços de saúde: revisão integrativa de literatura. Rev Gest Saúde [Internet]. 2016 [acesso em: 25 jan. 2019];7(supl.1):1023-57. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/3569.

Ferreira SRS, Périco LAD, Dias VRFG. The complexity of the work of nurses in Primary Health Care. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018 [acesso em: 25 jan. 2019];71(supl.1):784-9. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672018000700704&lng=en&tlng=en. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0471.

Mendes R, Pezzato LM, Sacardo DP. Research and intervention in the promotion of health: methodological challenges of researching “with”. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2016 [acesso em: 25 jan. 2015];21(6):1737-45. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000601737&lng=pt&tlng=pt. https://doi.org/10.1590/1413-81232015216.07392016.

Dall’Agnol CM, Magalhães AMM, Mano GCM, Olschowsky A, Silva FP. A noção de tarefa nos grupos focais. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2012 [acesso em: 25 jan. 2015];33(1):186-90. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v33n1/a24v33n1.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472012000100024.

Backes DS, Colomé JS, Erdmann RH, Lunardi VL. Grupo focal como técnica de coleta e análise de dados em pesquisas qualitativas. O Mundo da Saúde [Internet]. 2011 [acesso em: 27 set. 2018];35(4):438- 42. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/grupo_focal_como_tecnica_coleta_analise_dados_pesquisa_qualitativa.pdf.

Minayo MCS (org.), Gomes, SFDR. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 1a ed. Petrópolis: Vozes; 2016.

Roecker S, Budó MLD, Marcon SS. The educational work of nurses in the Family Health Strategy: difficulties and perspectives on change. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [acesso em: 27 set. 2018];46(3):638- 46. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n3/en_16.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000300016.

Pedrosa ICF, Corrêa ACP, Mandú ENT. Influências da infraestrutura de Centros de Saúde nas práticas profissionais: percepções de enfermeiros. Cienc Cuid Saúde [Internet]. 2011 [acesso em: 25 jan. 2019];10(1):58-65. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/13288/pdf. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v10i1.13288.

Coutinho FMJ, Aquino JT. Os 5S como diferencial competitivo para o sistema de gestão da qualidade: estudo de caso de uma empresa de aços longos. Revista Gestão.Org [Internet]. 2015 [acesso em: 25 jan. 2019];13(2):176-86. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/gestaoorg/article/view/22077/18464.

Bonato VL. Gestão de qualidade em saúde: melhorando a assistência ao cliente. O Mundo da Saúde [Internet]. 2011 [acesso em 25 jan. 2019];35(5):319-31. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/gestao_qualidade_saude_melhorando_assistencia_cliente.pdf. http://dx.doi.org/10.15343/0104-7809.20113319331.

Moraes AMM, Barros ACS, Gonçalves FIR, Santos GCP, Ramos GTL, Torres JB, et al. A importância da atuação do enfermeiro como gestor na organização e administração da atenção básica: uma revisão integrativa. Rev Eletrônica Acervo Saúde [Internet]. 2017 [acesso em: 25 jan. 2019];(sup.10):S912-S917. Disponível em: https://www.acervosaude.com.br/doc/REAS120.pdf. http://dx.doi.org/10.25248/REAS120_2018.

Facchini LA, Tomasi E, Dilélio AS. Quality of Primary Health Care in Brazil: advances, challenges and perspectives. Saúde Debate [Internet]. 2018 [acesso em: 25 jan. 2019];42(noesp.1):208-22. Disponível em: https://scielosp.org/pdf/sdeb/2018.v42nspe1/208-223/en. http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042018S114.

Galavote HS, Zandonade E, Garcia ACP, Freitas PSS, Seidl H, Contarato PC, et al. The nurse’s work in primary health care. Esc Anna Nery [Internet]. 2016 [acesso em: 25 jan. 2019];20(1):90-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v20n1/en_1414-8145-ean-20-01-0090.pdf. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160013.

Publicado

05/06/2020

Como Citar

1.
Kerschner TVK, Silva CB da, Santos VCF dos, Ferreira GE. Proposições de enfermeiros coordenadores para a implantação do Programa 5S na Atenção Primária à Saúde. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 5º de junho de 2020 [citado 3º de março de 2024];22:57943. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/57943

Edição

Seção

Artigo Original