Presença familiar no olhar existencial da pessoa com câncer: compreendendo o fenômeno à luz heideggeriana

Autores

  • Catarina Aparecida Sales Universidade Estadual de Maringá
  • Kelly Cristine Piolli Universidade Estadual de Maringá
  • Kesley de Oliveira Reticena
  • Julia Wakiuchi Universidade Estadual de Maringá
  • Sonia Silva Marcon Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v17i1.27639

Palavras-chave:

Família, Cuidadores, Neoplasias, Apoio Social, Enfermagem

Resumo

Objetivou-se compreender como a pessoa com câncer percebe a presença ou a ausência do familiar enquanto realiza tratamento longe do lar. Pesquisa fenomenológica heideggeriana, realizada com 11 pessoas em tratamento antineoplásico, hospedadas em uma casa de apoio. Os dados foram coletados no período de junho a setembro de 2013, por meio de entrevistas em profundidade. As temáticas ontológicas suscitadas foram: estreitando laços com a presença familiar, reconhecendo a necessidade da presença familiar e revelando a importância dos companheiros de tratamento na ausência familiar. O estudo desvelou que as pessoas com câncer reconhecem que a presença de seus familiares ameniza a situação vivenciada, pois estes, de maneira autêntica, as acolhem e lhes prestam os mais íntimos cuidados. Concluiu-se que a presença familiar diminui a distância do lar e melhora o enfrentamento da doença. Na ausência dos familiares, os pacientes encontram, nos companheiros da casa de apoio, amparo e conforto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Catarina Aparecida Sales, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira, Doutora em Enfermagem na Saúde do Adulto. Professora Adjunto da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Maringá, PR, Brasil. E-mail: casales@uem.br.

Kelly Cristine Piolli, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira. Discente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem, nível Mestrado. Maringá, PR, Brasil. E-mail: kellyiap.enf@gmail.com.

Kesley de Oliveira Reticena

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Maringá, PR, Brasil. E-mail: kesleyreticena@hotmail.com.

Julia Wakiuchi, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Discente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem, nível Doutorado. Maringá, PR, Brasil. E-mail: julia.wakiuchi@gmail.com.

Sonia Silva Marcon, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira, Doutora em Filosofia da Enfermagem. Professora Associada da Universidade Estadual de Maringá. Maringá, PR, Brasil. E-mail: soniasilva.marcon@gmail.com.

Publicado

31/03/2015

Como Citar

1.
Sales CA, Piolli KC, Reticena K de O, Wakiuchi J, Marcon SS. Presença familiar no olhar existencial da pessoa com câncer: compreendendo o fenômeno à luz heideggeriana. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 31º de março de 2015 [citado 24º de maio de 2022];17(1):30-6. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/27639

Edição

Seção

Artigo Original