Educação permanente/continuada como estratégias de gestão no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

Livia Barrionuevo El Hetti, Andrea Bernardes, Carmen Silvia Gabriel, Cinira Magali Fortuna, Vanessa Gomes Maziero

Resumo


O estudo objetivou analisar a percepção dos profissionais sobre educação permanente e/ou continuada no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de um município do Estado de São Paulo. Trata-se de estudo qualitativo que utilizou a análise temática de conteúdo para análise dos dados. Das entrevistas com 30 profissionais emergiram duas categorias: Desconhecimento da temática pelos atores institucionais; Necessidades percebidas e relatadas. Os resultados revelaram que a educação permanente ainda é incipiente nesse serviço. Ausência de uso de protocolos, comunicação ineficaz, falha na supervisão, falta de capacitação para o atendimento a pacientes psiquiátricos, carência de humanização e falta de apoio psicológico aos profissionais são apontados como problemas a serem resolvidos. O estudo possibilitou identificar que grande atenção deve ser dada à educação permanente como estratégia de qualificação das práticas nos serviços de urgência e emergência. A compreensão do conceito e a implantação na prática diária configuram-se em enorme desafio nesse cenário.

Descritores: Enfermagem; Educação; Educação Continuada; Socorro de Urgência; Serviços Médicos de Emergência.

 


Palavras-chave


Enfermagem; Educação; Educação Continuada; Socorro de Urgência; Serviços Médicos de Emergência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5216/ree.v15i4.24405



Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict