Porta de entrada para o diagnóstico da tuberculose: avaliação da estrutura dos serviços

  • Priscila Balderrama Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Silvia Figueiredo Vendramini Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Maria de Lourdes Sperli Geraldes Santos Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Maria Amelia Zanon Ponce Faculdade FACERES
  • Isabela Cristina Oliveira Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Tereza Cristina Scatena Villa Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Anneliese Domingues Wysocki
  • Rubia Laine de Paula Andrade
Palavras-chave: Tuberculose. Atenção Primária à Saúde. Avaliação de Serviços de Saúde.

Resumo

Estudo quantitativo em que foram entrevistados 160 profissionais em Unidades Básicas, Saúde da Família e Pronto Atendimento, com o objetivo de avaliar a estrutura dos serviços que atuam como porta de entrada para o diagnóstico da tuberculose. Como resultado, observou-se predomínio de profissionais do sexo feminino e mediana de tempo de trabalho superior nas Unidades Básicas. O Pronto Atendimento foi mais bem avaliado em horário de funcionamento e pior em disponibilidade de funcionários. A Saúde da Família apresentou melhor avaliação em tempo de espera para atendimento dos usuários e rotatividade de profissionais. Todos apresentaram resultados satisfatórios para insumos, mas nenhum possuía Raio-X. De maneira geral, embora as Unidades Básicas e de Saúde da Família tenham apresentado melhor avaliação, não se constituem como porta de entrada preferencial para o usuário que, na iminência dos sintomas, procura mais pelo Pronto-Atendimento.

doi: 10.5216/ree.v16i3.21408.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila Balderrama, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira, Mestre em Ciências da Saúde. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Fundamental, nível Doutorado, da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: priscilabalderrama@gmail.com.
Silvia Figueiredo Vendramini, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Enfermeira, Doutora em Enfermagem em Saúde Pública. Professora Adjunto da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). São José do Rio Preto, SP, Brasil. E-mail: silviahve@gmail.com.
Maria de Lourdes Sperli Geraldes Santos, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da FAMERP. São José do Rio Preto, SP, Brasil. E-mail: mlsperli@gmail.com.
Maria Amelia Zanon Ponce, Faculdade FACERES
Enfermeira, Doutora em Enfermagem em Saúde Pública. Professora da Faculdade FACERES. São José do Rio Preto, SP, Brasil. E-mail: amelinha_famerp@yahoo.com.br.
Isabela Cristina Oliveira, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Acadêmica do curso de graduação em Enfermagem da FAMERP. São José do Rio Preto, SP, Brasil. E-mail: isa_@hotmail.com.
Tereza Cristina Scatena Villa, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Titular da EERP/USP. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: tite@eerp.usp.br.
Anneliese Domingues Wysocki
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: lilisew@yahoo.com.br.
Rubia Laine de Paula Andrade
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: rubia@eerp.usp.br.
Publicado
30-09-2014
Como Citar
Balderrama, P., Vendramini, S. F., Santos, M. de L. S. G., Ponce, M. A. Z., Oliveira, I. C., Villa, T. C. S., Wysocki, A. D., & Andrade, R. L. de P. (2014). Porta de entrada para o diagnóstico da tuberculose: avaliação da estrutura dos serviços. Revista Eletrônica De Enfermagem, 16(3), 511-9. https://doi.org/10.5216/ree.v16i3.21408
Seção
Artigo Original