Mídia e medicalização do corpo e da saúde em mulheres praticantes de exercícios físicos em academia

Autores

  • André Gustavo Flausino Vieira Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, Santa Catarina, Brasil, andregustavo.edfisica@yahoo.com.br
  • George Saliba Manske Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, Santa Catarina, Brasil gsmanske@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v25.72944

Palavras-chave:

Mídia, Medicalização, Corpo, Academias de Ginástica

Resumo

Neste estudo tivemos como objetivo compreender como mídias sociais influenciam a medicalização do corpo de mulheres praticantes de exercícios físicos em uma academia de Itajaí/SC. As participantes da pesquisa foram organizadas em dois grupos, sendo um de 18 a 30 anos e outro de 31 a 45 anos, posteriormente por identidades geracionais. Utilizamos uma abordagem qualitativa e para coleta de dados entrevistas coletivas com perguntas abertas, tendo análise temática como técnica de análise dos dados. Observamos que as mídias digitais, principalmente as redes sociais, influenciam a medicalização do corpo feminino através de mecanismos próprios, variando suas ações e produções de acordo com as categorias geracionais aqui elencadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Gustavo Flausino Vieira, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, Santa Catarina, Brasil, andregustavo.edfisica@yahoo.com.br

Mestre em Saúde e Gestão do Trabalho (PPGSGT/UNIVALI).

George Saliba Manske, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, Santa Catarina, Brasil gsmanske@yahoo.com.br

Professor e Coordenador de Estágios do curso de Educaçao Física - UNIVALI

Professor colaborador do programa de Mestrado em Saúde da Família - UNIVALI

Downloads

Publicado

2022-10-31

Como Citar

GUSTAVO FLAUSINO VIEIRA, A.; SALIBA MANSKE, G. Mídia e medicalização do corpo e da saúde em mulheres praticantes de exercícios físicos em academia. Pensar a Prática, Goiânia, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/rpp.v25.72944. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/72944. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais