ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE COMPETÊNCIA TÉCNICA E INTENÇÕES MORAIS EM TOMADAS DE DECISÃO DE ÁRBITROS DE FUTEBOL: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO COM CRIANÇAS

Autores

  • Leandro de Lima e Silva 1 Escola de Educação Física do Exército 2 Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil 3 Laboratório do Esporte – UERJ
  • Lilian Cristina Xavier Martins Escola de Educação Física do Exército
  • Dirceu Ribeiro Nogueira da Gama Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil
  • Juliana Brandão Pinto de Castro Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE), do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) http://orcid.org/0000-0002-5656-0782
  • Erik Salum de Godoy Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil Laboratório Multidisciplinar de Atividades Físicas, Esportes e Educação Física, Universidade Veiga de Almeida (UVA) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil
  • Rodolfo de Alkmim Moreira Nunes Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil Laboratório do Esporte – UERJ

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v21i3.49173

Palavras-chave:

Criança, Futebol, Infância, Coerência, Opinião.

Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar se há coerência na opinião da criança sobre a conduta do árbitro de futebol. Para tanto, utilizou-se um questionário fechado, aplicado a 46 crianças (25 meninos e 21 meninas) de oito a onze anos de idade (idade: 9,6 ± 0,83 anos), numa escola municipal do Rio de Janeiro. Observou-se que mais da metade da amostra relatou conhecer o papel do árbitro e mostrou coerência ao responder às questões. Isso pode refletir um nível de maturidade para compreender perguntas e julgar o árbitro; mas pode indicar influências. Sugere-se o trabalho com amostras maiores e a inclusão dos responsáveis pelas crianças em estudos futuros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro de Lima e Silva, 1 Escola de Educação Física do Exército 2 Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil 3 Laboratório do Esporte – UERJ

Possui graduação em Educação Física desde (2012) e mestrando em Ciências do Esporte pela UERJ. Atualmente é segundo sargento - monitor de educação física do Centro de Capacitação Física do Exército e árbitro de futebol da FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DO RIO DE JANEIRO. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física, atuando principalmente no seguinte tema: futebol. sistema de posicionamento global. testes.

Lilian Cristina Xavier Martins, Escola de Educação Física do Exército

Doutora em Epidemiologia, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Mestre em Epidemiologia, pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Especialização em Natação pela Universidade Federal de Brasília (UnB) e Graduada em Licenciatura/Bacharelado em Educação Física pela UFRJ. Possui larga experiência na área de Educação Física, com ênfase em desporto de alto rendimento: Pentatlo Moderno e Natação. Atua, principalmente, nos seguintes temas: epidemiologia da atividade física, saúde e qualidade de vida, e aspectos relacionados à avaliação e prescrição do treinamento físico. Participa de pesquisas em Neurociência no Laboratório de Integração Sensório-Motora (LABMCISM) da Escola de Educação Física e Desportos / Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no programa de Pós-Doutorado. Atualmente é pesquisadora no Instituto de Pesquisa em Capacitação Física do Exército, consultora da Seção de Projetos e Editora-Chefe da Revista de Educação Física / Journal of Physical Education do Centro de Capacitação Física do Exército.

Dirceu Ribeiro Nogueira da Gama, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Possui Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2001), mestrado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (2004) e doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (2009). Lecionou na Universidade Católica de Petrópolis (RJ) Universidade Estácio de Sá (RJ), Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente, integra o Departamento de Ciências da Atividade Física (DECAF) do Instituto de Educação Física e Desportos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), desenvolvendo pesquisas em torno das seguintes áreas de interesse: imaginário social e ensino da educação física, ética e bioética, epistemologia da educação física e esportes, ensino de filosofia, filosofia do esporte, análise da formação do educador físico, análise da intervenção pedagógica do educador físico, relações entre exercício físico e cognição.

Juliana Brandão Pinto de Castro, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE), do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutorado em andamento no Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE/UERJ). Mestre em Alimentação, Nutrição e Saúde pelo Instituto de Nutrição da UERJ. Professora do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD/UERJ), das disciplinas Metodologia do Treinamento Desportivo I e Metodologia do Treinamento Desportivo II. Especialista em Docência do Ensino Superior (UCAM). Especialista em Geriatria e Gerontologia pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM/UERJ).

Erik Salum de Godoy, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil Laboratório Multidisciplinar de Atividades Físicas, Esportes e Educação Física, Universidade Veiga de Almeida (UVA) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Castelo Branco (1988), Mestrado em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco (2002),e cursos de especialização e aperfeiçoamento em musculação, metodologia do treinamento esportivo, fisiologia do exercício, e gerontologia e atividade física. Atualmente é professor na Universidade Veiga de Almeida, professor de Educação Física na rede pública de ensino da Cidade do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase no Treinamento Desportivo, atuando principalmente nas seguintes áreas: treinamento desportivo, treinamento com pesos, musculação, lutas, educação física escolar, atividades físicas/esportivas de aventura na natureza e periodização.

Rodolfo de Alkmim Moreira Nunes, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil Laboratório do Esporte – UERJ

Doutor pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mestre pela Universidade Castelo Branco (UCB/RJ). Especializado em Medicina do Esporte e Metodologia Científica em Laboratório de Pesquisa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Medicina pela Universidade Gama Filho (UGF) e em Educação Física pela Universidade Estácio de Sá (UNESA). Professor Adjunto do Instituto de Educação Física e Desportos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Bolsista do Laboratório Olímpico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Oficial de Controle de Dopagem da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) e Membro da Comissão Nacional de Controle de Dopagem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) desde 1989. Professor Pesquisador da UTAD/Portugal orientando teses de Mestrado e Doutorado. Tem experiência na área de Educação Física e Medicina Desportiva, com ênfase em Fisiologia do Exercício e Desporto, Socorros e Urgências (APH). Atuando principalmente nos seguintes temas: detecção de talentos no esporte, futebol, doping, promoção de saúde, exercício supervisionado para grupos especiais, reabilitação cardiopulmonar e metabólica, cineantropometria e morte súbita.

Downloads

Publicado

2018-09-28

Como Citar

LIMA E SILVA, L. de; MARTINS, L. C. X.; GAMA, D. R. N. da; CASTRO, J. B. P. de; GODOY, E. S. de; NUNES, R. de A. M. ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE COMPETÊNCIA TÉCNICA E INTENÇÕES MORAIS EM TOMADAS DE DECISÃO DE ÁRBITROS DE FUTEBOL: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO COM CRIANÇAS. Pensar a Prática, Goiânia, v. 21, n. 3, 2018. DOI: 10.5216/rpp.v21i3.49173. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/49173. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais