O DESPORTO E AS “COISAS DO SER”. A necessidade de vencer

Autores

  • Antònio Camilo Cunha CIEC - Instituto de Educação / Universidade do Minho - Braga / Portugal

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v16i4.21067

Palavras-chave:

desporto, cultura, espírito, razão, educação.

Resumo

O Desporto é um dos principais fenômenos sociais, reflete a forma como a sociedade se organiza (global, multicultural e complexa) e espelha as diferenças e particularidades humanas, sendo a necessidade de vencer uma das suas variáveis mais distintivas. Este fato faz com que a humanidade encontre na prática desportiva uma oportunidade de concretização dessa necessidade de vencer, competir, uma vez que estas características lhe são intrínsecas – dizem o sentido antropológico, biológico e ontológico do “ser” e das “coisas” do ser. Esse ensaio tenta demonstrar que o Desporto ao constituir-se como um caminho que caracteriza o “ser” e as “coisas do ser” vai convocar as dimensões biológicas, químicas, da racionalidade, do envolvimento social/cultural e da espiritualidade para essa caraterização. A consciência deste fato pode confirmar o desporto como um instrumento educativo, formativo e existencial por excelência

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antònio Camilo Cunha, CIEC - Instituto de Educação / Universidade do Minho - Braga / Portugal

Licenciado em Ensino da Educação Física pela ESE do Instituto Politécnico de Castelo Branco; Mestrado em Ciências da Educação pela FMH da Universidade Técnica de Lisboa; Doutoramento em Estudos da Criança - IEC- Universidade do Minho; Agregação (Livre Docência) em Ciências do Desporto pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto; Pós - Doutoramento em Teoria e Prática Pedagógica em Educação Física pela UFSC - Brasil; Professor Auxiliar com Agregação da Universidade do Minho - Instituto de Educação - Portugal. CV: http://lattes.cnpq.br/2920977523340939

Downloads

Publicado

2013-12-20

Como Citar

CUNHA, A. C. O DESPORTO E AS “COISAS DO SER”. A necessidade de vencer. Pensar a Prática, Goiânia, v. 16, n. 4, 2013. DOI: 10.5216/rpp.v16i4.21067. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/21067. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Ensaios