Com meu filho não se mexe? Discursos sobre a autoridade de pais e mães no Chile

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v26.74664

Resumo

Na atualidade, a autoridade paterna e materna é frequentemente considerada como um campo em disputa por diferentes atores políticos. À luz das recentes transformações socioculturais e jurídicas nas relações familiares, este artigo examina o significado da autoridade parental. Por meio de entrevistas em profundidade com membros de think tanks influentes no debate político chileno e representantes de diferentes posições ideológicas, serão analisados distintos pontos de vista sobre o conceito de autoridade parental, desde o seu significado e legitimidade, as transformações e tensões recentes que o envolvem, bem como o papel atribuído ao Estado nessa área. Os principais resultados permitem-nos concluir que os discursos políticos atuais, sobre diferentes formas, significam a expectativa de um exercício mais horizontal ou democrático da parentalidade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camilo Sembler, Universidad Alberto Hurtado (UAH), Santiago, Chile, camilo.sembler@gmail.com

Doutor em Filosofía (Universidade J.W. Goethe, Frankfurt, Alemanha), professor do Departamento de Sociología da Universidade Alberto Hurtado, Santiago, Chile.

Isabel Valencia, Universidad Finis Terrae (UFT), Santiago, Chile, isavalenciad@gmail.com

Socióloga, Universidad de Chile. Magíster en Gestión y Políticas Públicas, Universidad de Chile.

Publicado

2023-06-06

Como Citar

SEMBLER, C.; VALENCIA, I. Com meu filho não se mexe? Discursos sobre a autoridade de pais e mães no Chile. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 26, 2023. DOI: 10.5216/sec.v26.74664. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/74664. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Livres