VULNERABILIDADE AGRÍCOLA DO SEMIÁRIDO BAIANO À SECA: UMA PROPOSTA DE ÍNDICE PARA AVALIAÇÃO REGIONAL

AGRICULTURAL VULNERABILITY OF THE BAHIA’S SEMIARID REGION TO DROUGHT: A PROPOSAL FOR AN INDEX FOR REGIONAL ASSESSMENT

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v43i01.70858

Resumo

As secas são fenômenos climáticos que ocorrem em diversas partes do mundo. Contudo, em locais com pessoas vulneráveis, elas podem resultar em impactos negativos. Este estudo objetivou integrar diferentes indicadores (agrícola, ambiental, educacional e tecnológico) para a elaboração de um índice de vulnerabilidade agrícola a eventos de seca. Os procedimentos metodológicos consistiram na seleção de indicadores, cálculo dos índices de vulnerabilidade e definição das classes de vulnerabilidade. A maioria dos municípios do Semiárido Baiano apresentou “vulnerabilidade crítica”, “vulnerabilidade muito alta” e “vulnerabilidade alta”. Conclui-se que a capacidade de resistência dos agricultores e a capacidade de suporte do setor agrícola são demasiadamente baixas, o que propicia a ocorrência do desastre da seca na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Vinicius de São José, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, saojoserafaelvinicius16@gmail.com

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS (2015). Mestre em Ensino de Geociências - UNICAMP (2019). Cursa Doutorado no Instituto de Geociências e no Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura - UNICAMP. Trabalha com Climatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Clima Tropical Semiárido, Estiagem e Seca, Vulnerabilidades e Riscos Climáticos, Ensino e Difusão da informação em Meteorologia e Climatologia.

Priscila Pereira Coltri, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, pcoltri@cpa.unicamp.br

Possui graduação em Engenharia Agronomica pela Universidade de São Paulo - ESALQ/USP (2002), Licenciada em Ciências Agrárias pela Universidade de São Paulo (2002). Possui especialização em Gerenciamento Ambiental pela Universidade de São Paulo (2003). Mestre em Agronomia, na área de Fitotecnia pela Universidade de São Paulo (2006). Foi Bolsista (Modalidade DTI, CNPQ) do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Possui doutorado pela Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). O doutorado foi realizado no Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Fez doutorado sanduíche na Universidade de Rennes 2, França. Foi é bolsista Pós-Doc no exterior (PDE - CNPQ) no "Le Laboratoire des Sciences du Climat et lEnvironnement (LSCE)", França (2013). Professor Permanente do Instituto de Geosciências (IG/UNICAMP). Atualmente é Pesquisadora e Diretora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI), UNICAMP. Atua principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: Agrometeorologia e Modelagem; Mudanças Climáticas; Educação e Comunicação em Climatologia.

Roberto Greco, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, greco@unicamp.br

Roberto Greco é Professor Doutor do Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT), do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Licenciado em Ciências Naturais (1997) e doutor pela escola de doutorado Ciência do Sistema Terra: ambiente, recursos e patrimônio cultural (2010), pela Universidade de Modena e Reggio Emilia (Unimore), Itália. Em 2020 foi convidado como professor visitante na Unimore para oferecer a primeira edição da disciplina de Ensino e Comunicação em Geociências. Foi também bolsista do programa Professor Visitante do Exterior na Unicamp entre maio e setembro 2012. Coordena o grupo de pesquisa Geociências e Sociedade. Interesses de pesquisa incluem os processos de ensino aprendizagem relacionados com os conteúdos de Ciências da Terra e Educação Ambiental. Desde 2018 está envolvido em vários projetos de pesquisa e extensão com temáticas socioambientais em colaboração com a Universidade de Cardiff (Reino Unido). Iniciou e coordenou a Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra e a Olimpíada Brasileira de Geografia para estudantes do ensino médio. Desde 2018 é Coordenador Geral da International Geoscience Education Organization (IGEO), Coordenador Geral da International Earth Science Olympiad (IESO), membro do Conselho Executivo da International Association for Promoting Geoethics (IAPG) e membro da Commission on Geoscience Education (COGE) da International Union Geological Sciences (IUGS). Desde 2017 é Coordenador da Comissão de Extensão do Instituto de Geociências da Unicamp, representando o IG no CONEXT (Conselho Executivo de Extensão) e na Comissão Central de Extensão. Foi representante suplente pelo DGEO no Nepam entre 01/05/2014 e 30/04/2016. Membro da Comissão Organizadora da UPA no IG em 2019, Membro da Comissão de Pós Graduação do EHCT por mais de três anos e do PECIM entre 11/03/2020 - 31/03/2021.

Downloads

Publicado

2023-10-20

Como Citar

SÃO JOSÉ, R. V. de; COLTRI, P. P.; GRECO, R. VULNERABILIDADE AGRÍCOLA DO SEMIÁRIDO BAIANO À SECA: UMA PROPOSTA DE ÍNDICE PARA AVALIAÇÃO REGIONAL: AGRICULTURAL VULNERABILITY OF THE BAHIA’S SEMIARID REGION TO DROUGHT: A PROPOSAL FOR AN INDEX FOR REGIONAL ASSESSMENT. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 43, n. 01, 2023. DOI: 10.5216/bgg.v43i01.70858. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/70858. Acesso em: 20 maio. 2024.