A GEOPOLÍTICA DO GARIMPO DO LOURENÇO, NORTE DO AMAPÁ: TRAJETÓRIA, CONTRADIÇÕES E INSUSTENTABILIDADE

THE GEOPOLITICS OF LOURENÇO, AN ARTISANAL MINING REGION IN THE NORTH OF AMAPÁ: TRAJECTORY, CONTRADICTIONS AND UNSUSTAINABILITY

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v39i0.55253

Resumo

O Garimpo do Lourenço, no Norte do estado do Amapá, constitui uma das mais antigas frentes de garimpagem ativa no Brasil. A extração de ouro é liderada por uma cooperativa de garimpeiros em precárias condições de trabalho e cuidados ambientais. O garimpo encontra-se envolto por um conjunto de áreas protegidas e pesquisas recentes indicaram altos níveis de mercúrio nos peixes dos rios da região. Em tempo pretérito, o Governo do Amapá e o Ministério Público Federal mediaram ações para legalizar a atividade e transformar o Lourenço num polo de mineração artesanal sustentável. Referidas ações não aconteceram, mas deixaram lições que foram anuladas ou desconsideradas pelo Estado racionalista quando do estabelecimento de acordos bilaterais Brasil-França para combate de atividades de garimpo ilegal na fronteira. O presente artigo resgata a geopolítica do Garimpo do Lourenço e apresenta os principais conflitos socioambientais, assente na revisão da literatura, em entrevistas e em visitas técnicas à região garimpeira. Conclui-se pela insustentabilidade da atividade garimpeira diante do contexto territorial preservacionista e da complexidade das ações de regulação e de ordenamento ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Chagas, Universidade Federal do Amapá

Doutor em Desenvolvimento Socioambiental pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da UFPA, Professor do Departamento de Meio Ambiente e Desenvolvimento (DMAD) e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Amapá (PPGMDR/UNIFAP)

Publicado

2019-03-19

Como Citar

CHAGAS, M. A. A GEOPOLÍTICA DO GARIMPO DO LOURENÇO, NORTE DO AMAPÁ: TRAJETÓRIA, CONTRADIÇÕES E INSUSTENTABILIDADE: THE GEOPOLITICS OF LOURENÇO, AN ARTISANAL MINING REGION IN THE NORTH OF AMAPÁ: TRAJECTORY, CONTRADICTIONS AND UNSUSTAINABILITY. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 39, p. 1–18, 2019. DOI: 10.5216/bgg.v39i0.55253. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/55253. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos