A PECUÁRIA EXTENSIVA EM GOIÁS: A TÉCNICA NO ESPAÇO RURAL E O CRESCIMENTO HORIZONTAL DA BOVINOCULTURA ENTRE 1920 E 1960 - DOI 10.5216/bgg.v34i3.33859

Autores

  • Onofre Aurélio Neto Fundação Antares de Ensino Superior, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v34i3.33859

Resumo

Este artigo discute as inovações técnicas e o uso do espaço rural em Goiás entre 1920 e 1960, com ênfase à pecuária bovina. Apesar de constatarmos uma baixa densidade técnica para o estado, em alguns municípios foi registrada a presença de objetos artificiais, como máquinas e instrumentos agrários; algumas inovações biológicas foram constatadas na alteração do padrão-espécie bovina e na formação de pastagens artificiais; as inovações químicas, apesar de pouco expressivas, marcaram presença, com o uso de adubos químicos e o processo de calagem. Restritas aos “locais privilegiados”, as inovações representam uma modernização heterogênea na fase da bovinocultura tradicional. Na maior parte do território goiano, o problema da escassez de técnicas e da baixa produção espacial foi mitigado com a expansão das áreas de pastagens para sustentar o aumento do rebanho, um crescimento horizontal que reforçou a concentração de terra.

Palavras-chave: técnica, produção espacial, rebanho bovino, concentração de terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-01-10

Como Citar

AURÉLIO NETO, O. A PECUÁRIA EXTENSIVA EM GOIÁS: A TÉCNICA NO ESPAÇO RURAL E O CRESCIMENTO HORIZONTAL DA BOVINOCULTURA ENTRE 1920 E 1960 - DOI 10.5216/bgg.v34i3.33859. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 3, p. 501–523, 2015. DOI: 10.5216/bgg.v34i3.33859. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/33859. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos