Redefinição em ambiente SIG de áreas especialmente protegidas: caso do município de Santa Maria, (RS) Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v18i1.77168

Resumo

Os elementos que integram as paisagens prestam serviços ambientais à sociedade, de tal forma que pesquisas baseadas em avaliação de múltiplos critérios constituem estratégias valiosas para a definição de áreas para proteção ambiental. No município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, existem áreas especialmente protegidas de âmbito local, sendo criadas com base em documentos cartográficos, por vezes, incompatíveis com o escopo ambiental local. Este trabalho tem como objetivo a redefinição dessas áreas especialmente protegidas, considerando os elementos das paisagens que tenham aplicação na abordagem multicriterial em ambiente de Sistema de Informação Geográfica. A metodologia aporta-se nos componentes da paisagem: vegetação, geologia-geomorfologia e hidrografia. O resultado da pesquisa foi a elaboração de um mapa com a redefinição das áreas especialmente protegidas, gerado por meio dos critérios: Uso e Cobertura da terra; Distância da drenagem; Abastecimento de água; Locais geoturísticos e sítios fossilíferos e; Áreas Especiais Naturais. Tais mapeamentos foram ponderados na mesma escala e mesma classificação de pesos, de acordo com a ordem de importância, permitindo assim, a reordenação dos limites territoriais das áreas especialmente protegidas de forma mais condizente com a realidade local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-04-20

Como Citar

FOLLMANN, F. M.; FOLETO, E. M. Redefinição em ambiente SIG de áreas especialmente protegidas: caso do município de Santa Maria, (RS) Brasil. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 18, n. 1, p. 198–225, 2024. DOI: 10.5216/ag.v18i1.77168. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/77168. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos