Uso da cartografia colaborativa para o mapeamento dos espaços de vivência de estudantes da geografia de uma universidade pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v17i3.76265

Resumo

Atualmente, grande parte da população tem acesso a aplicativos de localização, consequentemente, qualquer indivíduo pode se tornar um produtor de Informação Geográfica Voluntária (VGI). Diante disso, o objetivo deste trabalho é realizar o mapeamento colaborativo dos espaços de vivência de estudantes de Geografia da Universidade Federal de Santa Maria, para compreender as relações sociais, econômicas e de lazer que eles vivenciam em Santa Maria (RS) e região. O projeto foi desenvolvido no aplicativo Canvise os pontos foram inseridos no QGIS 3.4. Pode-se dividir os estudantes em dois grupos: um dos que vivem com suas famílias, residem em bairros periféricos e utilizam comércios como grandes redes de hipermercados; e outro dos que utilizam os serviços imobiliários, pois viviam em municípios do interior, passando a residir nos bairros Centro e Camobi, com acesso a comércios de médio a pequeno porte. Os dados VGI demonstraram a importância da Universidade como fator de desenvolvimento local e regional.

Palavras-chave: VGI. Cartografia Social. Universidade. Territórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

VIEIRA HABOWSKI, J. T.; PETSCH, C.; LAMPERT BATISTA, N. Uso da cartografia colaborativa para o mapeamento dos espaços de vivência de estudantes da geografia de uma universidade pública. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 247–268, 2023. DOI: 10.5216/ag.v17i3.76265. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/76265. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos