Mercado global de pimenta-do-reino: inserção e participação do Brasil em circuitos globais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v17i1.74816

Resumo

O período atual do capitalismo é marcado pela globalização dos fluxos de mercadorias e pela inserção de países em circuitos cada vez mais globalizados. Nesse sentido, o conceito de circuito espacial de produção tem enfatizado o papel dos fixos e dos fluxos no ordenamento das subetapas da produção, possibilitando compreender o papel destes espaços no processo produtivo geral. Esse artigo analisa o circuito espacial da produção de pimenta-do-reino no Brasil e a inter-relação deste com o mercado global. Para tanto, recorreu-se à revisão bibliográfica e à consulta de dados estatísticos disponíveis em bancos de dados do IBGE, do COMEXSTAT e do International Trade Centre, os quais revelam que o Brasil é um dos principais produtores e exportadores desta mercadoria no mundo e que sua produção se concentra nos estados do Espírito Santo e do Pará, ao passo quea exportação do grão é comandada por empresas situadas nos estados do Pará, do Espírito Santo e de São Paulo, enquanto o escoamento e a circulação, interligando o Brasil à escala global,são feitos pelos portos de Santos, de Belém e do Rio de Janeiro, que monopolizam 99% do fluxo deste produto.

Palavras-chave: Circuito espacial de produção.Mercadorias agrícolas. Pimenta-do-reino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2023-04-20

Como Citar

LOPES PAES, R.; VALENTE DA CRUZ , B. E. Mercado global de pimenta-do-reino: inserção e participação do Brasil em circuitos globais. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 229–248, 2023. DOI: 10.5216/ag.v17i1.74816. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/74816. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos