A Cartografia Escolar e a Teoria das Inteligências Múltiplas no ensino de Geografia: contribuições das geotecnologias no Ensino Fundamental

Autores

  • Maurício Rizzatti Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1795-9002
  • Roberto Cassol Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Elsbeth Léia Spode Becker Universidade Franciscana, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i3.65949

Resumo

Na Cartografia Escolar é possível desenvolver recursos vinculados ao espaço vivido por meio da aplicação da Teoria das Inteligências Múltiplas (IM), propostas por Howard Gardner, em 1983. Nesse contexto, esse trabalho tem como objetivo geral estudar/identificar a contribuição da Teoria das Inteligências Múltiplas a partir do uso de geotecnologias na construção de conhecimentos geográficos/cartográficos no Ensino Fundamental. Em um primeiro momento ocorreu uma revisão bibliográfica sobre IM e Cartografia Escolar. Após, realizou-se a aplicação de um questionário para avaliar o conhecimento prévio dos alunos. Posteriormente, aconteceu uma oficina pedagógica, em que foi apresentado noções de temáticas para interpretação de documentos cartográficos e mapeamento aos estudantes. Na sequência, os discentes realizaram a confecção de dois mapas (analógico e digital), que colaboraram para mobilizar a gama de inteligências. Por fim, aplicou-se novamente um questionário para avaliar o conhecimento adquirido. Destaca-se que as IM permitem o desenvolvimento de atividades centradas no aluno, contribuindo para uma maior eficiência no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-Chave: Geotecnologias, Espaço Vivido, QGIS, Inteligência Espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-20

Como Citar

RIZZATTI, M.; CASSOL, R.; SPODE BECKER, E. L. A Cartografia Escolar e a Teoria das Inteligências Múltiplas no ensino de Geografia: contribuições das geotecnologias no Ensino Fundamental. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 3, p. 239–267, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i3.65949. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/65949. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos