A espacialização da Covid-19 nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas da Amazônia Legal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i3.65329

Resumo

Epidemias em indígenas têm sido relatadas desde a chegada dos colonizadores na América, causando um elevado número de óbitos entre essas populações. A pandemia da Covid-19 tem trazido uma grande preocupação em relação aos indígenas. Este artigo tem como objetivo apresentar a espacialização dos casos da Covid-19 entre indígenas na Amazônia Legal, tendo como referência os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs). Para a realização da análise tomaram-se por base os dados publicados nos boletins epidemiológicos da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), divulgados às terças-feiras, no período de 6 de abril de 2020 até 6 de julho de 2020. A espacialização do Covid-19 nos DSEI da Amazônia Legal não seguiu um padrão específico. O DSEI Alto Rio Solimões foi o que mais teve casos confirmados durante a maior parte do período de análise, sendo que em momento específico o DSEI Manaus ocupou essa posição. No final do período analisado, o DSEI Maranhão passou a ter mais casos confirmados da Covid-19.

Palavras-Chave: Espacialização. Covid-19. Indígenas. DSEI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-12-20

Como Citar

FOSCHIERA, A.; SILVA, J. S. da. A espacialização da Covid-19 nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas da Amazônia Legal. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 3, p. 6–34, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i3.65329. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/65329. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos