Interfaces entre a Educação do Campo e a Agroecologia em áreas de assentamentos rurais no estado do Paraná

Autores

  • Marizete Borges Secretaria Municipal de Assistência Social, Rio Bonito do Iguaçu, Paraná, Brasil.
  • Elder José Marcelites Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Laranjeiras do Sul, Paraná, Brasil.
  • Roberto Antonio Finatto Universidade Federal da Fronteira Sul, Laranjeiras do Sul, Paraná, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-8467-5133

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i1.56336

Resumo

Este trabalho problematiza a relação entre a Educação do Campo e a Agroecologia em áreas de assentamentos rurais vinculados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Parte-se do pressuposto de que a Agroecologia, enquanto matriz produtiva difundida pelo MST, potencializa e reforça a perspectiva de uma Educação do Campo emancipatória, que valoriza o conhecimento e o modo de vida dos sujeitos, além de contribuir para a sua permanência no campo. Assim, a escola adquire centralidade no processo de educação formal e passa a ser um espaço privilegiado para o estudo das contradições do campo brasileiro, bem como para a difusão dos princípios da Agroecologia. A escola, entretanto, não consegue garantir essa formação se não acompanhar o movimento da realidade em que está inserida. Amparado em revisão da literatura, análise documental, entrevistas e observações in loco, este texto apresenta uma análise das ações em torno da Agroecologia desenvolvidas em duas escolas do campo localizadas em assentamentos rurais no estado do Paraná, contextualizando os avanços e os limites nas suas práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Educação do Campo; Agroecologia; Assentamentos rurais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-04-20

Como Citar

BORGES, M.; MARCELITES, E. J.; FINATTO, R. A. Interfaces entre a Educação do Campo e a Agroecologia em áreas de assentamentos rurais no estado do Paraná. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 1, p. 283–304, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i1.56336. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/56336. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos