Do anime para o jogo: espaços evocativos de Os Cavaleiros do Zodíaco

  • Washington Drummond Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar os espaços evocativos dos jogos Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados e Os Cavaleiros do Zodíaco: Batalha do Santuário, e compreender o papel que a paisagem exerce em ambos. Como método realizou-se revisão bibliográfica dos estudos sobre os videogames, com destaque àqueles concernentes ao escopo da Geografia, assim como o contato mais íntimo com os espaços do anime, reassistindo as temporadas, e com os espaços evocativos dos jogos, jogando-os e observando considerações de outros jogadores. Verificou-se que os espaços evocativos dos jogos amplificam o senso de imersão dos jogadores no mundo ficcional de Os Cavaleiros do Zodíaco, assim como comunicam novas perspectivas da história e da espacialidade desse universo.

Palavras-chave: Representação. Videogames. Espaço do jogo. Espaços evocativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Washington Drummond, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Geógrafo e Mestre em Geografia pelo programa de pós-graduação do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é professor substituto de Geografia Humana (Bacharelado e Licenciatura) da UFRJ e professor efetivo da Rede Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro.

Publicado
19-08-2019
Como Citar
Drummond, W. (2019). Do anime para o jogo: espaços evocativos de Os Cavaleiros do Zodíaco. Ateliê Geográfico, 13(2), 253-271. https://doi.org/10.5216/ag.v13i2.55182
Seção
Artigos