A Apropriação do Discurso Agroecológico pela Agricultura Orgânica Ressignificada

Autores

  • Vanessa Tavares Andrade Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.
  • Celso Donizete Locatel Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v13i3.54111

Resumo

O objetivo desse artigo é compreender como o discurso agroecológico tem sido apropriado pelo capital, mercantilizado por meio da agricultura orgânica ressignificada (capitalizada, empresarial), que segue à lógica de mercado, igualmente à agricultura tecnificada/quimificada. Assim sendo, busca-se também entender como a informação está atrelada à agricultura orgânica sob o ponto de vista político e técnico, no atual período. Para tanto, foram adotados como procedimentos metodológicos, a análise da bibliografia, que aborda esse tema e a análise de dados de fontes secundárias. Dessa forma, este trabalho vem contribuir para compreensão das estratégias do capital voltadas para produção e reprodução ampliada do capital, a partir do discurso da preservação ambiental, da defesa das práticas agrícolas agroecológicas atreladas aos sistemas de comunicação e informação somado aos processos normativos de certificação e de conduta produtiva.

Palavras chave: Discurso agroecológico, sistemas de informação e comunicação, Agricultura Orgânica ressignificada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Donizete Locatel, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

 

 

 

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

ANDRADE, V. T.; LOCATEL, C. D. A Apropriação do Discurso Agroecológico pela Agricultura Orgânica Ressignificada. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 13, n. 3, p. 209–228, 2019. DOI: 10.5216/ag.v13i3.54111. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/54111. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos