O conceito de espaço de representação: fundamentos para a compreensão da cultura na escola - DOI 10.5216/ag.v6i4.21979

Autores

  • Daniel Luiz Stefenon UNICENTRO

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v6i4.21979

Resumo

As relações sociais que se processam no cotidiano dos estudantes que frequentam a escola, contribuem com a definição de sua dinâmica e de seus conflitos. A escola, então, torna-se o produto da diversidade, do convívio, um locus gerador de significados culturais, pois nela as representações sociais são reproduzidas e compartilhadas. A partir disso, inaugura-se a possibilidade de entender a escola como um espaço de representação, considerado aqui como uma síntese entre a materialidade que lhe dá suporte, entre a rede de relações sociais promovidas pelos grupos que a frequentam e também pelo conjunto dos significados atribuídos por esses grupos à escola, que a tornam um verdadeiro espaço-monumento do cotidiano vivido em seu interior e entorno. Este artigo tem por objetivo apresentar bases epistemológicas referentes ao conceito de espaço de representação, promovendo uma discussão em torno da constituição do conceito, apontando também possibilidades de seu uso como uma ferramenta fundamental para a Geografia no processo de busca pela compreensão da questão da cultura, em especial da cultura que frequenta e aviva a realidade escolar

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Luiz Stefenon, UNICENTRO

Professor do Departamento de Geografia da UNICENTRO, campus de Irati/PR Rodovia PR 153, Km 7, Bairro Riozinho, CEP 84500-000

Downloads

Publicado

2013-01-01

Como Citar

STEFENON, D. L. O conceito de espaço de representação: fundamentos para a compreensão da cultura na escola - DOI 10.5216/ag.v6i4.21979. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 4, p. 158–174, 2013. DOI: 10.5216/ag.v6i4.21979. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/21979. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos