Medicina popular de plantas medicinais e fitoterápicos, redes sociais e a valorização do Cerrado Goiano - DOI 10.5216/ag.v4i1.16686

Autores

  • Viviane Custódia Borges UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v4i1.16686

Resumo

O Cerrado brasileiro é rico em biodiversidade, assim valorizar as práticas que estão atentas a isso é essencial. Neste sentido, há a medicina popular da Pastoral da Saúde da Diocese de Goiás que trabalha com espécies do Cerrado no uso de plantas medicinais e fitoterápicos nas suas redes sociais. Essa atividade tem um importante papel social contribuindo para o atendido, em geral de uma população de baixa renda. Também tem sido uma fonte de comercialização dos produtos através de suas “farmacinhas”. A medicina popular é uma forma de diminuir a pressão sobre o ecossistema do Cerrado pela valorização do potencial de sua flora, além de permitir a prática de saberes tradicional. Apesar disso, tais iniciativas não têm apoio nem ajuda financeira de nenhuma instituição governamental e apresentam uma série de dificuldades para continuar as atividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-26

Como Citar

BORGES, V. C. Medicina popular de plantas medicinais e fitoterápicos, redes sociais e a valorização do Cerrado Goiano - DOI 10.5216/ag.v4i1.16686. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 4, n. 1, p. 139–163, 2011. DOI: 10.5216/ag.v4i1.16686. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/16686. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos